Notícias

Ver notícia

O tratamento inadequado do esgoto afeta diretamente o lençol freático e a qualidade da água da população

Só quem já morou em uma casa sem saneamento básico sabe dos desafios no dia a dia. Ele influência na saúde, na qualidade de vida e melhora a educação e as oportunidades econômicas das comunidades vulneráveis. No entanto, mesmo assim, muita gente não tem acesso a esse direito fundamental.

Freepik

Um levantamento do Instituto Trata Brasil divulgado no ano passado mostra que cerca de 100 milhões de brasileiros não tem acesso a rede de esgoto. E quando o assunto é falta de água potável, são aproximadamente 35 milhões de pessoas.

Em Mato Grosso do Sul a PPP (Parceia Público Privada) entre a Sanesul e Ambiental MS Pantanal tem agilizado o acesso das famílias a esse direito. O compromisso das duas empresas, firmado em 2021 tem como meta levar coleta e tratamento de esgoto para 98% dos municípios atendidos até 2030. “Queremos ser o primeiro Estado do Brasil a alcançar a universalização do saneamento. Desta forma, vamos deixar de lançar diariamente cerca de 300 milhões de litros de esgoto bruto em nossos rios”, frisa o diretor-presidente Paulo Antunes.

Foto: Fiems

Cinco coisas que você não pode esquecer:

  1. O saneamento básico promove hábitos higiênicos e controla a poluição ambiental, melhorando, assim, a qualidade de vida da população;
  2. O tratamento inadequado do esgoto afeta diretamente o lençol freático e a qualidade da água oferecida a população;
  3. Existem doenças que podem estar relacionadas à falta de saneamento básico, como: disenteria, giardíase, amebíase, gastroenterite, leptospirose, peste bubônica, cólera, poliomielite, hepatite infecciosa, febre tifoide, malária, ebola e sarampo;
  4. Segundo a OMS, a falta de saneamento básico adequado é responsável por 88% das mortes por diarreia em todo o mundo — sendo as crianças, o público mais afetado por esse índice;
  5. A importância do saneamento básico se reflete tanto em questões de saúde quanto no desenvolvimento social. Por isso, o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 6 da ONU (ODS 6) é assegurar a disponibilidade e gestão sustentável da água e saneamento para todos até 2030”.
Freepik

Saneamento e a ESG

Além da meta de universalizar o saneamento básico em Mato Grosso do Sul através da PPP, a Ambiental MS Pantanal, segue firme no compromisso das ações ESG Environmental, Social and Governance (Meio ambiente, Social e Governança, em tradução livre), muito debatido na empresa. A sigla reúne um conjunto boas práticas que tem o objetivo, de determinar se as operações de uma organização são socialmente sustentáveis, conscientes e corretamente gerenciadas.

Para isso que isso seja alcançado, a concessionária está comprometida com pautas sociais e ambientais e investe em programas de preservação, educação e responsabilidade social. Um dos programas de sucesso é o de diversidade e inclusão é o Respeito Dá o Tom, que tem como objetivo espelhar a demografia da população brasileira no quadro de colaboradores, inclusão de pessoas negras em todos os níveis hierárquicos da companhia e olhar para a igualdade de gênero.

Compartilhar:

Veja Também

Iniciativa de colaborador da MS Pantanal otimiza serviços em Japorã Saiba mais
Iniciativa de colaborador da MS Pantanal otimiza serviços em Japorã

Trabalhador adaptou sistema que evita obstruções na rede de esgoto do município “Uma ação simples que gera resultado” é assim que o opera...

MS Pantanal leva informação e mudas de Ipês para estudantes sidrolandenses Saiba mais
MS Pantanal leva informação e mudas de Ipês para estudantes sidrolandenses

Na última semana, a Ambiental MS Pantanal participou da programação da ‘I Semana Socioambiental’, promovida pela Prefeitura de Sidrolândi...

Contato Saiba mais
Contato

A Ambiental MS Pantanal oferece um canal de comunicação eficiente. Entre em contato conosco.

Responsabilidade Social Saiba mais
Responsabilidade Social

A atuação social e ambientalmente responsável faz parte da nossa história e do nosso propósito.