Notícias

Ver notícia

O tratamento inadequado do esgoto afeta diretamente o lençol freático e a qualidade da água da população

Só quem já morou em uma casa sem saneamento básico sabe dos desafios no dia a dia. Ele influência na saúde, na qualidade de vida e melhora a educação e as oportunidades econômicas das comunidades vulneráveis. No entanto, mesmo assim, muita gente não tem acesso a esse direito fundamental.

Freepik

Um levantamento do Instituto Trata Brasil divulgado no ano passado mostra que cerca de 100 milhões de brasileiros não tem acesso a rede de esgoto. E quando o assunto é falta de água potável, são aproximadamente 35 milhões de pessoas.

Em Mato Grosso do Sul a PPP (Parceia Público Privada) entre a Sanesul e Ambiental MS Pantanal tem agilizado o acesso das famílias a esse direito. O compromisso das duas empresas, firmado em 2021 tem como meta levar coleta e tratamento de esgoto para 98% dos municípios atendidos até 2030. “Queremos ser o primeiro Estado do Brasil a alcançar a universalização do saneamento. Desta forma, vamos deixar de lançar diariamente cerca de 300 milhões de litros de esgoto bruto em nossos rios”, frisa o diretor-presidente Paulo Antunes.

Foto: Fiems

Cinco coisas que você não pode esquecer:

  1. O saneamento básico promove hábitos higiênicos e controla a poluição ambiental, melhorando, assim, a qualidade de vida da população;
  2. O tratamento inadequado do esgoto afeta diretamente o lençol freático e a qualidade da água oferecida a população;
  3. Existem doenças que podem estar relacionadas à falta de saneamento básico, como: disenteria, giardíase, amebíase, gastroenterite, leptospirose, peste bubônica, cólera, poliomielite, hepatite infecciosa, febre tifoide, malária, ebola e sarampo;
  4. Segundo a OMS, a falta de saneamento básico adequado é responsável por 88% das mortes por diarreia em todo o mundo — sendo as crianças, o público mais afetado por esse índice;
  5. A importância do saneamento básico se reflete tanto em questões de saúde quanto no desenvolvimento social. Por isso, o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 6 da ONU (ODS 6) é assegurar a disponibilidade e gestão sustentável da água e saneamento para todos até 2030”.
Freepik

Saneamento e a ESG

Além da meta de universalizar o saneamento básico em Mato Grosso do Sul através da PPP, a Ambiental MS Pantanal, segue firme no compromisso das ações ESG Environmental, Social and Governance (Meio ambiente, Social e Governança, em tradução livre), muito debatido na empresa. A sigla reúne um conjunto boas práticas que tem o objetivo, de determinar se as operações de uma organização são socialmente sustentáveis, conscientes e corretamente gerenciadas.

Para isso que isso seja alcançado, a concessionária está comprometida com pautas sociais e ambientais e investe em programas de preservação, educação e responsabilidade social. Um dos programas de sucesso é o de diversidade e inclusão é o Respeito Dá o Tom, que tem como objetivo espelhar a demografia da população brasileira no quadro de colaboradores, inclusão de pessoas negras em todos os níveis hierárquicos da companhia e olhar para a igualdade de gênero.

Compartilhar:

Veja Também

MS Pantanal leva informação e mudas de Ipês para estudantes sidrolandenses Saiba mais
MS Pantanal leva informação e mudas de Ipês para estudantes sidrolandenses

Na última semana, a Ambiental MS Pantanal participou da programação da ‘I Semana Socioambiental’, promovida pela Prefeitura de Sidrolândi...

Quem Somos Saiba mais
Quem Somos

A Ambiental MS Pantanal é responsável pelos serviços de coleta e tratamento de esgoto em 68 municípios no interior do Mato Grosso do Sul

Política de Sustentabilidade Saiba mais
Política de Sustentabilidade

Respeito ao meio ambiente e as pessoas, contribuindo para qualidade de vida e saúde da população onde atuamos.

Esgotamento Sanitário Saiba mais
Esgotamento Sanitário

A Ambiental MS Pantanal trabalha diariamente para ampliar e melhorar o índice de coleta e tratamento de esgoto.