Alunos de Terenos têm aula de botânica e recebem mudas de viveiro para replantio na escola

Postado por administrador em 23/jun/2022 - Sem Comentários

Alunos do 8º ano da Escola Municipal Jamic Polo, de Terenos (MS), estiveram em Campo Grande, na última segunda-feira (20), para assistir a uma aula técnica sobe plantio de mudas no Viveiro Isaac de Oliveira, administrado pela Ambiental MS Pantanal – empresa criada a partir da Parceria Público-Privada entre a Sanesul e o Grupo Aegea, que nasceu com a meta de universalizar o saneamento básico no Estado.

Na visita, os estudantes tiveram a oportunidade de acompanhar as etapas do processo de produção de mudas típicas do Cerrado e do Pantanal e aprenderam sobre a importância da preservação ambiental e do reflorestamento de áreas desmatadas para a preservação das bacias hidrográficas.

“A ideia é que eles conheçam as técnicas que serão reproduzidas na escola, que tem um projeto para construir seu próprio viveiro de mudas”, disse o professor Thomas de Almeida, que acompanhou os alunos no passeio. “A visita foi excelente”, completou.

A escola já possui uma horta em Terenos, cujos alimentos são utilizados na alimentação dos próprios alunos. O projeto do novo viveiro na escola tem como objetivo a produção de mudas que serão destinadas a ações de reflorestamento de áreas degradadas no entorno de nascentes do Município, que abastecem a Bacia do Paraguai.

Desde a chegada da MS Pantanal, em maio do ano passado, a concessionária já realizou o plantio de mais de 5 mil mudas com parceiros de diferentes regiões do Estado, em municípios como Bonito, Terenos, Bataguassu, Miranda e Nova Andradina.

O viveiro Isaac de Oliveira, que é administrado em parceria com a concessionária de água e esgoto Águas Guariroba, de Campo Grande, tem capacidade de produção de mais de 50 mil mudas por ano.

No começo do mês, a Ambiental MS Pantanal também realizou um plantio de 200 árvores em área urbana, em parceria com a prefeitura de Terenos. A empresa doou mudas de espécies como paineiras e ipês de diferentes cores.

“A MS Pantanal presta um serviço de qualidade no sistema de esgoto de Terenos e nos ofereceu uma quantidade significativa de mudas para plantios tanto na área urbana quanto na zona rural”, disse o prefeito de Terenos, Henrique Budke. “Essa parceria funciona, e quem sai favorecida é a população terenense”, acrescentou.

Sobre a PPP. A MS Pantanal assumiu em maio do ano passado a operação plena de serviços de coleta, afastamento e tratamento de esgoto em todos os 68 municípios em que a Sanesul já atua. A parceria pioneira se tornou viável após a sanção do Marco Legal do Saneamento, em 2020.

Ao lado da Sanesul, a companhia tem a meta de universalizar os serviços de saneamento básico até 2031, antecipando-se à legislação. Com o cumprimento da meta, mais 1,7 milhão de sul-mato-grossenses terão acesso aos serviços, posicionando o MS como o primeiro estado do Brasil a realizar tal feito. Para isso, estima-se um investimento de cerca de R$ 1 bilhão em obras por parte da iniciativa privada.

Em ação conjunta, SES, MS Pantanal e Águas Guariroba entregam 30 mil máscaras para enfrentamento da covid no Estado

Postado por administrador em 28/jan/2022 - Sem Comentários

Em ação conjunta realizada na manhã desta sexta-feira (28), em Campo Grande, a Secretaria de Saúde do MS (SES) entregou 30 mil máscaras doadas pela concessionária de saneamento de Campo Grande, Águas Guariroba, e pela Ambiental MS Pantanal – empresa criada a partir da Parceria Público-Privada (PPP) entre a Sanesul e o grupo Aegea.

Do total de máscaras doadas, 20 mil foram destinadas às secretarias de Saúde de Dourados, Ponta Porã, Corumbá e Três Lagoas, através da MS Pantanal. O secretário de Saúde do Estado, Geraldo Rezende, manifestou “gratidão às empresas que têm ajudado neste momento” e disse que “toda doação é bem-vinda”.

Já o diretor-presidente da MS Pantanal, Celso Paschoal, afirmou que, para a empresa de saneamento, “é uma honra poder colaborar no combate à pandemia, em um estado que é referência nacional nesse sentido”. Rezende, em seguida, ressaltou que “este é um trabalho coletivo”.

A fala de Rezende foi endossada pelo secretário de Saúde de Corumbá, Rogério Leite, que também esteve presente no encontro. “Esse é um trabalho conjunto… e o que a gente conseguiu construir nessa pandemia foi, justamente, a participação da sociedade”, disse.

Ainda de acordo com Leite, a saúde pública se faz com a participação de toda sociedade, e é preciso trabalhar em conjunto com as empresas. “Essas máscaras darão mais segurança aos trabalhadores da saúde e atenderão a população como um todo”, acrescentou.

As secretarias de Saúde de Dourados, Três Lagoas, Ponta Porã e Corumbá receberam – cada uma – cinco mil máscaras da MS Pantanal. Além disso, a Águas Guariroba – concessionária de saneamento do Grupo Aegea em Campo Grande – doou mais 10 mil máscaras: cinco mil para a Secretaria de Saúde do MS e outras cinco mil para o Hospital Regional, na capital.

Sobre a PPP. A MS Pantanal assumiu em maio do ano passado a operação plena de serviços de coleta, afastamento e tratamento de esgoto em todos os 68 municípios em que a Sanesul já atua. A parceria pioneira se tornou viável após a sanção do Marco Legal do Saneamento, em 2020.

Ao lado da Sanesul, a companhia tem a meta de universalizar os serviços de saneamento básico até 2031, antecipando-se à legislação. Com o cumprimento da meta, mais 1,7 milhão de sul-mato-grossenses terão acesso aos serviços, posicionando o MS como o primeiro estado do Brasil a realizar tal feito. Para isso, estima-se um investimento de cerca de R$ 1 bilhão em obras por parte da iniciativa privada.

 

Camapuã recebe 250 mudas para revitalização de horta urbana

Postado por administrador em 06/jul/2021 - Sem Comentários

A Prefeitura de Camapuã (MS) recebeu, na última semana, uma doação de 250 mudas da empresa de saneamento MS Pantanal, que foram alocadas na horta urbana do município, e serão destinadas a ações de plantio de entidades locais.

De acordo com o diretor de Agronegócios, Meio Ambiente e Empreendedorismo da Secretaria de Meio Ambiente de Camapuã, Kalid Chokr, parte das mudas doadas pela AMSP serão distribuídas aos moradores do município e outra parte será destinada ao viveiro de Camapuã, que será reativado.

“A Prefeitura de Camapuã agradece a parceria com a MS Pantanal, pois irá contribuir com a preservação do nosso meio ambiente”, disse Chokr. “Vamos doar mudas para a comunidade, formar áreas verdes urbanas e reativar nosso viveiro”, completou.

O diretor explicou também que o município está empenhado em desenvolver as hortas urbanas com o intuito de fornecer alimentos às entidades sociais, escolas, hospitais etc.

A prefeitura recebeu mudas de vários gêneros, incluindo plantas frutíferas. Entre elas estão ipês roxos, rosas e brancos; aroeiras; moringas; açaís; jacarandás; pitangas; jacas; nêsperas; jenipapos; tamarindos; e cedros rosas.

Sobre a PPP. As mudas foram doadas pela Ambiental MS Pantanal (AMSP) – empresa de saneamento criada a partir da Parceria Público-Privada (PPP) entre a Sanesul e o Grupo Aegea, com a meta de universalizar os serviços de esgotamento sanitário dentro da próxima década.

Desde maio, com o início da operação plena da AMSP, moradores de todos as regiões do MS puderam observar a chegada de trabalhadores e veículos da PPP.

Equipes de engenheiros, topógrafos e eletromecânicos da MS Pantanal vêm trabalhando no mapeamento inteligente e digitalização de todos os ativos da Sanesul desde fevereiro, nos 68 municípios onde a estatal já atua.

Foram percorridas cerca de 200 estações elevatórias de esgoto e 77 estações de tratamento em todas as regiões do MS.
Com a PPP, mais de 1,7 milhão de sul-mato-grossenses terão acesso ao saneamento básico ao final de 2021. O projeto pioneiro deve posicionar o estado como o primeiro do País a alcançar a universalização do saneamento básico.

Ribeirinhos da Baía Negra recebem primeiras mudas em projeto de reflorestamento do Pantanal

Postado por administrador em 07/jun/2021 - Sem Comentários

A Ambiental MS Pantanal (AMSP) – empresa de saneamento criada a partir da Parceria Público-Privada (PPP) entre a Sanesul e o Grupo Aegea – anunciou, neste fim de semana, a doação de mil mudas de espécies do cerrado e do Pantanal para o projeto de reflorestamento da Área de Preservação Ambiental (APA) da Baía Negra, em Ladário (MS).

No Dia do Meio Ambiente, celebrado no último sábado (5), ribeirinhos do Rio Paraguai que tiveram territórios destruídos pelas queimadas recordes do ano passado fizeram o plantio simbólico das primeiras mudas de espécies frutíferas (baru, pitanga e jenipapo), além de tipos nativos de ipês.

A ação foi realizada em parceria com as ONGs Comitiva Esperança e Ecoa, de forma controlada, sem causar aglomerações, e as demais mudas serão plantadas no período das chuvas.

Por conta das queimadas do ano passado, o sustento da população que vive às margens do Rio Paraguai foi duramente afetado, uma vez que florestas inteiras foram atingidas. Estima-se que os incêndios tenham causado o maior prejuízo ambiental já registrado no Pantanal, de acordo com João Mazini, coordenador da Comitiva Esperança. “O fogo levou embora hortas e pomares deixando os moradores em situação de insegurança alimentar”, alerta.

Vale lembrar que plantas frutíferas que davam sustento aos ribeirinhos e aos animais que ali viviam ainda não se recuperaram. Além disso, o baixo nível do Rio Paraguai está prejudicando a pesca, de acordo com moradores locais.

“Queimaram meus pés de limão, que já estavam dando fruta; o mandiocal; as ramas que eu tinha para plantar de novo”, lamenta dona Zilda, que vive na região há pelo menos 20 anos. No quintal da vizinha dona Branca, que por pouco não teve que deixar sua casa por causa das chamas, aconteceu o mesmo: “O fogo levou os pés de caju, jabuticaba e a banana da terra”.

“O objetivo da ação é ressaltar a importância do reflorestamento das áreas devastadas e também lembrar que para ter esperança num futuro mais verde, é preciso antes semear”, explicou Mazini.

A APA Baía Negra é uma Unidade de Conservação de Uso Sustentável e foi criada com o intuito de unir a proteção ao meio ambiente à sobrevivência da população tradicional da área. Esta foi a primeira APA criada na região.

“Não vemos a hora de reflorestar; principalmente as plantas nativas que o fogo levou… Queimou tudo”, disse Dona Júlia, que também construiu sua vida na APA. “Mas, neste momento, a esperança é muito grande para nós”, pondera.

O sábado também marcou o primeiro mês de operação plena da MS Pantanal, que veio para acelerar os investimentos no setor de saneamento com a missão de universalizar o esgotamento sanitário, ao lado da Sanesul, na próxima década.