MS Pantanal abre vaga para técnico em Segurança do Trabalho em Três Lagoas

Postado por administrador em 01/dez/2021 - Sem Comentários

A Ambiental MS Pantanal – empresa criada a partir da Parceria Público-Privada (PPP) entre a Sanesul e o grupo Aegea – abriu vaga para técnico em Segurança do Trabalho em Três Lagoas (MS).

Entre os requisitos para a candidatura, exige-se curso técnico em Segurança do Trabalho, além de Carteira Nacional de Habilitação (CNH) da categoria “B” e disponibilidade para viagens no estado.

A MS Pantanal assumiu as operações de coleta, afastamento e tratamento de esgoto nos 68 municípios em que a Sanesul atua, em todas as regiões do Mato Grosso do Sul, com a meta de garantir esgotamento sanitário à 98% da população até o final de 2031. Desde então, equipes e veículos da PPP podem ser vistos em Três Lagoas e demais cidades.

Entre as principais atividades exercidas pelo técnico estão a análise e investigação de acidentes de trabalho, princípios de incêndio e suas consequências, visitas aos respectivos locais e verificação da utilização correta dos equipamentos de segurança, com o objetivo de prever futuros acidentes.

O técnico também deve realizar levantamentos sobre o grau de iluminação, ruídos, concentração de gases e risco de explosão, de acordo com as atividades exercidas. Além disso, deve-se elaborar cursos e palestras sobre segurança e participar de comissões internas sobre a prevenção de acidentes.

A MS Pantanal oferece benefícios como assistência médica, odontológica, vale alimentação, gympass e acesso a sua plataforma educacional. Os interessados devem enviar currículo e manifestar interesse pela vaga através do e-mail rh@ambientalmspantanal.com.br.

UFMS e MS Pantanal assinam termo de cooperação técnico-científica

Postado por administrador em 01/set/2021 - Sem Comentários

A Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS) e a Ambiental MS Pantanal (AMSP) – empresa criada a partir da Parceria Público-Privada (PPP) do saneamento entre a Sanesul e o Grupo Aegea – assinaram, nessa terça-feira (31), um protocolo de intenções que visa a cooperação técnico-científica entre as partes, em Campo Grande.

Com o protocolo, as partes formalizam a intenção de colaborarem em projetos que venham a beneficiar a produção científica em âmbito estadual, no tocante a assuntos de saneamento básico, engenharia e meio ambiente, por exemplo.

Além do reitor da UFMS, Marcelo Turine, estiveram presentes a vice-reitora, Camila Itavo; o diretor da Agência de Desenvolvimento e Inovação (Aginova), Saulo Moreira; e professores, diretores e pesquisadores da Faculdade de Engenharia (Faeng). Também participaram o diretor regional de relações institucionais da Aegea, Paulo Antunes; o diretor presidente da AMSP, Celso Paschoal; e o diretor-executivo da empresa, Clayton Bezerra.

Na esteira do encontro, Turine afirmou que “é um orgulho muito grande para a UFMS assinar um protocolo de intenções junto a uma empresa que é referência em saneamento em todo o país e, em especial, no Mato Grosso do Sul”. “Tenho certeza que nascerão daqui muitos projetos inovadores para a sociedade sul-mato-grossense… projetos de impacto científico para melhorar a qualidade de vida da população”, ressaltou o reitor.

“Estarmos do lado da academia irá permitir troca de experiências e pesquisas que contribuirão de forma significativa para a implantação de melhorias no saneamento em nosso Estado”, disse Antunes. “Trata-se da união dos melhores esforços, conhecimentos e práticas sustentáveis que passarão a estar em sinergia”, explicou.

Sobre a PPP. A MS Pantanal assumiu, desde maio, a operação plena de serviços de coleta, afastamento e tratamento de esgoto em todos os 68 municípios em que a Sanesul já atua. A parceria pioneira se tornou viável após a sanção do Marco Legal do Saneamento, em 2020.

Ao lado da Sanesul, a companhia controlada pelo Grupo Aegea tem a meta de universalizar os serviços de saneamento básico até 2031, antecipando-se à legislação. Com o cumprimento da meta, mais 1,7 milhão de sul-mato-grossenses terão acesso aos serviços, posicionando o MS como o primeiro estado do Brasil a realizar tal feito. Para isso, estima-se um investimento de cerca de R$ 1 bilhão em obras por parte da iniciativa privada.

Desde maio, equipes e veículos da PPP já podem ser vistos por moradores de todas as regiões do Estado. Apenas nos primeiros três primeiros meses de operação, a MS Pantanal já ligou mais de 1,8 mil moradias à rede de esgoto. Além disso, foram realizados 5,5 mil serviços de desobstrução, para que o esgoto possa fluir com segurança.

Referência nacional, modelo de universalização de esgoto avança sistematicamente em MS

Postado por administrador em 28/jul/2021 - Sem Comentários

Enquanto a maioria dos estados brasileiros encontra dificuldades no grande desafio de atingir o cumprimento das metas estabelecidas pela legislação no setor de saneamento básico, o processo de universalização do esgotamento sanitário avança gradativamente em Mato Grosso do Sul.

A lei 14.026/2020 (Marco do Saneamento) fixa uma meta de cobertura de coleta e tratamento de esgoto à 90% da população até dezembro de 2033. Por aqui, as áreas urbanas dos municípios de Alcinópolis, Bonito, Jateí, Paranaíba, Porto Murtinho, Ribas do Rio Pardo e Tacuru já possuem os serviços de água e esgoto universalizados, antecipando-se ao marco legal do ano de 2033.

Com a conclusão das obras promovidas pela Sanesul, Três Lagoas, Amambai, Bodoquena, Brasilândia, Caracol, Chapadão do Sul, Dourados, Laguna Carapã, Paranhos, Ponta Porã e Santa Rita do Pardo também terão os serviços universalizados até o final de 2025.

O bom desempenho deve-se a um plano ousado de investimento no saneamento, estabelecido pelo governo do estado em parceria com a Sanesul, que ganhou reforço da iniciativa privada por meio da Parceria Público-Privada (PPP), num contrato estabelecido este ano.

Sobre a PPP. A modelagem da PPP, que fará as demais obras e pretende universalizar o esgotamento sanitário no MS, é pioneira e serve de exemplo para outras companhias de saneamento do país.

Com o Grupo Aegea saindo vencedor do leilão realizado em outubro de 2020, Mato Grosso do Sul vai entrar para a história como o primeiro estado a universalizar o sistema de esgoto no país – um objetivo a ser atingido em até 10 anos.

Fruto da parceria da Sanesul com o Grupo Aegea, nasceu a empresa Ambiental MS Pantanal, que assumiu a operação plena do sistema de coleta e tratamento de esgoto em maio. Equipes e veículos da empresa já podem ser vistos por moradores de todas as regiões do estado.

“A PPP irá proporcionar a união de duas reconhecidas empresas, o que irá potencializar a capacidade de entregas das obras necessárias, bem como a condução das operações com a excelência operacional que as famílias sul-mato-grossenses realmente merecem”, disse Paulo Antunes, diretor de relações institucionais da MS Pantanal.

Já diretor-presidente da empresa, Celso Paschoal, explica que a MS Pantanal vem para impulsionar os investimentos a fim de garantir o cumprimento da meta de universalização.

“Uma das expectativas com a chegada da iniciativa privada na modelagem é a de continuar trazendo inovações e possibilidades para otimizar a execução dos serviços”, disse. “A MS Pantanal veio pra isso: impulsionar os investimentos, trazer melhorias, agilidade, eficiência nos processos, bem como minimizar possíveis transtornos na execução do trabalho. Essas são algumas das nossas obrigações previstas no contrato”, afirma.

Moradores de 68 municípios serão beneficiados com a rede coletora de esgoto em casa para que se possa fazer a destinação correta do resíduo produzido. Ao final de 2031, mais 1,7 milhão de sul-mato-grossenses terão acesso ao saneamento básico.

Segundo o contrato da PPP, serão investidos cerca de R$ 3,8 bilhões de capital privado nos sistemas de coleta e tratamento de esgoto em Mato Grosso do Sul.

Avançar cidades. O Programa Avançar Cidades Saneamento tem o objetivo de promover a melhoria do saneamento básico do país. A Sanesul cadastrou seus projetos e o processo seletivo dos municípios foi conduzido pelo Ministério das Cidades. Os recursos da estatal foram viabilizados por meio de contratação de crédito junto à Caixa Econômica.

A primeira etapa do Programa Avançar Cidades ocorreu em 2018 quando 16 municípios do MS foram contemplados. Em setembro de 2019, mais 16 cidades. Já em 2020, outras 14 cidades assinaram contrato do Programa com a Caixa e Sanesul.

No total, 46 municípios foram beneficiados, e o montante viabilizado foi de R$ 445 mil reais em recursos da própria empresa que já estão sendo investidos no esgotamento sanitário em MS.

Para o diretor-presidente da Sanesul, Walter Carneiro Jr., “a qualidade do saneamento básico interfere diretamente na qualidade de vida das pessoas e o papel do poder público é fundamental, juntamente com a participação da iniciativa privada, visando o cumprimento das metas estabelecidas para a universalização do esgotamento sanitário em MS”.

 

Sanesul entrega obras de esgoto em Rio Verde e Camapuã

Postado por administrador em 16/jul/2021 - Sem Comentários

Dando continuidade em seu cronograma de entrega de obras e anúncio de novos investimentos, a Empresa de Saneamento do Mato Grosso do Sul (Sanesul), entregou, nesta sexta-feira (16), melhorias nas redes de esgoto nos municípios de Rio Verde do MT e Camapuã.

Em um ato público em Rio Verde, ao lado do prefeito José de Oliveira (DEM), o diretor-presidente da Sanesul, Walter Carneiro Jr., entregou 2,7 quilômetros de rede coletora de esgoto, 93 ligações domiciliares, uma estação elevatória e 86 metros de linha de recalque – um conjunto de tubulações, conexões, peças e dispositivos para garantir o perfeito bombeamento do esgoto.

Já em Camapuã, foi autorizada a construção de uma nova estação de tratamento de esgoto (ETE) com capacidade de 30 litros por segundo, um laboratório e duas estações elevatórias, bem como obras complementares, em mais uma etapa do programa Avançar Cidades.

As estruturas serão operadas pela Ambiental MS Pantanal (AMSP). A empresa foi criada a partir da Parceria Público-Privada (PPP) entre a Sanesul e o Grupo Aegea – a maior companhia privada de saneamento do país -, com o objetivo de impulsionar investimentos e dar acesso aos serviços de saneamento a mais 1,7 milhão de sul-mato-grossenses até o final de 2031. Com isso, 98% da população será contemplada.

Equipes e veículos da PPP já podem ser vistas em todas as cidades do estado desde maio, quando a AMSP deu início à chamada operação plena.

Referência nacional, a PPP se antecipou ao marco do saneamento, que completou um ano, nessa quinta-feira (15). Caso a meta seja atingida até o final de 2031, o MS será o primeiro estado brasileiro a universalizar o saneamento básico, num marco histórico para o país.

MS Pantanal investe em novos veículos e equipamentos

Postado por administrador em 09/jul/2021 - Sem Comentários

A Ambiental MS Pantanal (AMSP) – empresa criada a partir da Parceria Público-Privada (PPP) entre a Sanesul e o Grupo Aegea com a missão de impulsionar os investimentos no saneamento básico – recebeu mais um mini hidro jato e um caminhão customizado que serão entregues ao município de Jardim. Na próxima semana, equipes da empresa serão treinadas e os novos veículos serão conduzidos aos municípios de destino.

A empresa, que deu início à operação plena em maio e já está presente nos 68 municípios onde a Sanesul já atua, vem investindo na modernização do sistema de saneamento e suas equipes e veículos já podem ser vistos em todas as regiões do MS.

A empresa já distribuiu sete mini hidro jatos – usados na desobstrução das redes de esgoto – e sete caminhões customizados, chamados de “retro saneamento”, em cidades como Três Lagoas, Dourados, Ponta Porã, Nova Andradina, Naviraí, Aquidauana, Sidrolândia e Chapadão do Sul.

Vista como nova solução para o setor, a retro saneamento vai trazer mais agilidade a serviços como manutenção, troca de tubulação, ligação da rede de esgoto. Isso será possível porque que esse tipo de caminhão reúne – em um só veículo – equipamentos como caçamba, retroescavadeira, baús para acondicionamento de ferramentas, guindaste e engate rápido para instrumentos hidráulicos.

Dessa forma, o deslocamento de vários veículos para a realização de um só serviço não se faz mais necessário, resultando na redução da emissão de poluentes e de possíveis transtornos no tráfego das cidades.

O ambicioso projeto de universalização do saneamento básico no MS deve garantir acesso a mais 1,7 milhão de sul-mato-grossenses ao saneamento básico até o final de 2031. Caso essa meta seja atingida, o estado se tornará o primeiro a universalizar tais serviços, o que posiciona a PPP como um modelo para todo o país. Para isso, a MS Pantanal estima um investimento de cerca de R$ 1 bilhão em obras.

Sanesul anuncia investimentos. A distribuição dos novos veículos e equipamentos da MS Pantanal acontece ao passo em que a Sanesul anuncia, paralelamente, novos investimentos para o saneamento em Miranda e Caarapó.

O projeto da estatal prevê a construção de mais 24,8 km de rede coletora de esgoto e uma nova Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) em Caarapó. Os R$ 4,328 milhões em recursos da própria empresa foram garantidos por meio do programa Avançar Cidades, junto à Caixa Econômica Federal. Esses recursos serão utilizados na execução de 21 km de rede coletora e 700 novas ligações de imóveis, em diferentes bairros.

Para Miranda, a Sanesul anunciou, também nesta semana, recursos que somam R$ 12,9 milhões, num projeto que prevê a construção de mais 24,8 km de rede coletora de esgoto, sete estações elevatórias e uma nova ETE mais moderna e com maior capacidade de tratamento.

PPP do saneamento do MS é tema de destaque em webinário na UCDB

Postado por administrador em 07/jun/2021 - Sem Comentários

A Parceria Público-Privada (PPP) entre o Grupo Aegea e a Sanesul – que deu origem à empresa Ambiental MS Pantanal (AMSP) – foi tema de destaque em um webinário realizado na última semana, com representantes do setor, pela Universidade Católica Dom Bosco (UCDB) de Campo Grande.

O evento surgiu com o objetivo de promover a troca de experiências entre acadêmicos e profissionais de Engenharia Civil, Sanitária e Ambiental, com foco no mercado de trabalho. Estiveram presentes representantes de empresas, agências reguladoras e associações de engenheiros.

No webnário, o diretor-executivo da MS Pantanal, Clayton Bezerra, explicou aos participantes o modelo de PPP que se tornou referência nacional pelo seu pioneirismo, uma vez que o Mato Grosso do Sul se antecipou ao Marco do Saneamento sancionado no ano passado e deve ser o primeiro estado do país a garantir acesso aos serviços de coleta e tratamento de esgoto a pelo menos 98% da população, beneficiando mais de 1,7 milhão de pessoas.

A parceria propõe a universalização dos serviços de esgoto dentro da próxima década. Para isso, estima-se um investimento de cerca de R$ 1 bilhão em obras.

No último sábado (5), Dia do Meio Ambiente, a AMSP completou um mês de operação plena, após a conclusão do período de transição dos sistemas da Sanesul, em maio. Nas últimas semanas, moradores de todas as regiões do estado já puderam observar equipes e veículos da MS Pantanal chegando em seus municípios.

O período de “operação assistida” durou três meses. Nele, todos os ativos da Sanesul foram cadastrados e as plantas foram digitalizadas com o uso de um drone de última geração, em um programa apelidado de Infra Inteligente, que também foi destaque no “Fórum Saneamento 2021”, na Bolsa de Valores de São Paulo, a B3. O evento é visto como um dos mais importantes do setor.

Inspirado em experiências internacionais, o Infra Inteligente permite a realização de visitas virtuais nas estruturas das concessionárias, em qualquer local do país, prevenindo problemas, facilitando a tomada de decisões e otimizando recursos e serviços em saneamento. O programa é reconhecido mundialmente, sendo um dos finalistas do Year in Infrastructure 2020 – maior premiação de infraestrutura do mundo.

 

MS Pantanal conclui fase de modernização do sistema de monitoramento do esgoto

Postado por administrador em 28/maio/2021 - Sem Comentários

Passados menos de um mês do início da operação plena, a Ambiental MS Pantanal (AMSP) – empresa criada a partir da Parceria Público-Privada (PPP) entre a Sanesul e o Grupo Aegea – concluiu, nesta semana, a fase de modernização das centrais de monitoramento do sistema de esgoto em todo o Mato Grosso do Sul.

Na prática, isso significa que o funcionamento de 192 estações elevatórias de esgoto (EEEs) está sendo monitorado pelo Centro de Controle Operacional (CCO) da empresa, em Campo Grande, em tempo real, 24 horas por dia, todos os dias.

A companhia veio para reforçar os investimentos no setor, a fim de garantir – ao lado da Sanesul -, a universalização dos serviços na próxima década. Com isso, o MS será o primeiro estado do país a garantir saneamento básico à toda a população, tornando-se referência nacional.

O movimento representa uma melhoria na gestão dos ativos e na eficiência tecnológica. Agora, dados como o nível do esgoto nas estações elevatórias e o estado de funcionamento da estrutura eletromecânica (bombas, geradores e baterias) serão coletados em tempo real. Evita-se, assim, problemas como extravasamento das unidades.

Isso foi possível graças à instalação de novas centrais de monitoramento. Essas centrais substituem discadoras analógicas e permitirão a coleta de dados operacionais mais detalhados nas estações elevatórias e de tratamento do esgoto nos 68 municípios onde a empresa passa a operar.

Com o novo sistema, o quadro de comando de cada unidade enviará dados sobre o funcionamento dos equipamentos da planta para um sistema informatizado. “Essa é uma solução inovadora que foi desenvolvida pela Aegea”, disse o coordenador de eletromecânica da MS Pantanal, Janderson Fortunato. “Esse tipo de monitoramento trouxe uma redução de custos e o aumento da confiabilidade nas operações”, completou.

A iniciativa incorpora inteligência de dados e tecnologia à gestão, permitindo a coleta e cruzamento de informações importantes e úteis para o desenvolvimento de estratégias de atuação e investimento.

E por falar em inteligência, nesta semana, o programa Infra Inteligente – também desenvolvido pela Aegea – foi tema de destaque no “Fórum Saneamento 2021”, realizado quinta-feira (27), na Bolsa de Valores de São Paulo, a B3. O evento é visto como o mais importante do setor no país, e tem como intuito expor os avanços representados pelo novo marco legal, sancionado no ano passado.

No evento, o diretor sênior de projetos da Aegea, Wagner Carvalho, falou sobre o programa, que consiste no mapeamento e digitalização de todos os ativos da sanesul, com equipamentos de ponta que permitem a criação de mapas tridimensionais interativos.

Além disso, o Infra Inteligente, programa pioneiro no setor, permite a realização de visitas virtuais nas estruturas das concessionárias, em qualquer lugar do país, prevenindo problemas, facilitando a tomada de decisões e otimizando recursos e serviços de saneamento.