MS Pantanal executa extensão de 526 metros de rede de esgoto em Ponta Porã

Postado por administrador em 28/nov/2022 - Sem Comentários

A Ambiental MS Pantanal – empresa criada a partir da Parceria Público-Privada (PPP) entre a Sanesul e o Grupo Aegea – executou, em novembro, a extensão de 526 metros de rede de esgoto no bairro Marambaia, em Ponta Porã.

As obras acontecem na altura da rua Jabaquara, e atenderão futuros moradores de casas que serão construídas através do projeto Lote Urbanizado, da Prefeitura de Ponta Porã. Os trabalhos foram iniciados no começo do mês e devem ser concluídos no próximo dia 30.

Ao todo, cerca de 50 famílias serão beneficiadas na região, com a conexão das moradias à rede de coleta de esgoto do município.

A Ambiental MS Pantanal iniciou suas operações em maio do ano passado em Ponta Porã e outros 67 municípios em que a Sanesul atua. A PPP foi criada com o intuito de impulsionar os investimentos na coleta, afastamento e tratamento de esgoto para que o Mato Grosso do Sul atinja a universalização do Saneamento Básico até 2031.

Desde o início da operação, a MS Pantanal já conectou mais de 2,3 mil ponta-poraenses à rede de esgoto.

Mudança na presidência da MS Pantanal é apresentada para governador

Postado por administrador em 16/nov/2022 - Sem Comentários

O governador do estado de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja, recebeu nesta quarta-feira, 16/11, os diretores da Ambiental MS Pantanal, empresa parceira público-privada da Senesul para os serviços de esgotamento sanitário. Celso Lino Paschoal e Paulo Antunes informaram ao chefe do executivo sobre a mudança na presidência da PPP: Celso deixa a presidência da empresa sul-mato-grossense para assumir a diretoria executiva da Águas de Manaus, concessionária do grupo Aegea na capital do Amazonas. Paulo Antunes é o novo diretor presidente MS Pantanal.

Além da mudança na diretoria, o encontro foi pautado também por um breve balanço dos principais resultados da PPP, com destaque nas práticas que envolvem os pilares de sustentabilidade, governança e responsabilidade social da Ambiental MS Pantanal: como a destinação do lodo gerado nas estações de tratamento de esgoto para a produção de adubo orgânico com a doação de 20% da produção para programa de atendimento à áreas degradadas, hortas comunitárias e pequenos produtores, entre outros, ação a ser conduzida pelo Estado. Os diretores falaram ainda sobre outra ação que envolve a destinação de recursos para aplicação na recuperação das cabeceiras dos rios no Pantanal e APA Guariroba em parceria com WWF e BNDES.

Ao final do encontro, o governador recebeu um trabalho produzido pelo Instituto Trata Brasil a pedido da Ambiental MS Pantanal onde apresenta benefícios proporcionados pela Universalização do Saneamento no MS com a PPP.

Diretor Presidente

Diretor de Relações Institucionais da Aegea no MS e MT, Paulo Antunes, assume também a presidência da PPP no Mato Grosso no Sul. A empresa assumiu as operações de coleta, afastamento e tratamento de esgoto em 68 municípios no interior do estado desde maio do ano passado.

Antunes tem formação em Administração de Empresas, Contabilidade e Pedagogia e MBA em Desenvolvimento de Recursos Humanos, Gestão de Negócios, Gestão Empresarial e Gestão de Bancos. Tem ainda MBA em Gestão Pública, Curso de Extensão em Saneamento Básico e Especialização em ESG. Ocupou cargos de liderança na Caixa Econômica Federal por 32 anos, notadamente como Superintendente Regional do Mato Grosso do Sul e Minas Gerais, no período de 2004 a 2016.

Ainda na Caixa – onde conduziu cursos para formação de altos executivos -, Antunes foi diretor-executivo e vice-presidente do departamento de Habitação, entre 2017 e 2019.

O novo presidente da MS Pantanal ainda compôs o Conselho Deliberativo do Sebrae e o Conselho de Administração da Associação Comercial de Campo Grande.

Rotary Club e MS Pantanal lançam projeto de reflorestamento em Dourados

Postado por administrador em 05/nov/2022 - Sem Comentários

A Associação de Rotary Clubs do Distrito 4470 de Rotary Internacional e a Ambiental MS Pantanal lançaram, nesta semana, um projeto abrangente para unirem esforços no desenvolvimento de ações ambientais em diversos municípios do Mato Grosso do Sul. O evento aconteceu na Casa da Esperança de Dourados – instituição que acolhe dependentes químicos e atua na recuperação social e emocional dessas pessoas.

Na ocasião, foram plantadas 200 mudas de espécies nativas do Cerrado. A parceria prevê que mais 40 mil mudas sejam plantadas em ações do tipo em todo o estado. O evento contou com a participação da governadora do distrito 4470 do Rotary, Miriam Lacerda Philbois; e do diretor de Relações Institucionais da Aegea Centro Oeste, Paulo Antunes.

“Acredito que essa parceria proporciona grandes ganhos para as cidades do interior do Estado, sobretudo para o meio ambiente”, disse Antunes, em entrevista. “Com certeza as duas Instituições entregarão o que têm de melhor para um bem maior. É um privilégio contarmos com o Rotary, que possui competência, capilaridade e reputação em todas as regiões onde atua”, concluiu.

No evento, Antunes também lembrou que as ações de reflorestamento estão em linha com os princípios ESG (Ambiental, Social e de Governança, na sigla em inglês) da MS Pantanal, que, desde o início de sua operação plena, em maio de 2021, já doou mais de 15 mil mudas para ações de plantio em todas as regiões do MS.

Já Miriam se disse honrada em estar presente na ocasião, agradeceu à parceria e disse que as mudas serão bem-vindas para que se possa restaurar os solos, melhorar a qualidade do ar e ter um ambiente mais saudável. “[A parceria vem ao encontro com a sétima área de enfoque de Rotary Internacional, que valoriza todas as ações que levem à harmonia entre as pessoas e o meio ambiente… que todas as nossas ações sejam sustentáveis”.

Esta foi a primeira de muitas entregas de mudas que devem ocorrer em 48 municípios do MS. As mudas foram cultivadas no viveiro Isaac de Oliveira, em Campo Grande, que é administrado numa parceria entre a MS Pantanal e a concessionária Águas Guariroba. Hoje, o viveiro tem capacidade para produzir aproximadamente 50 mil mudas de espécies típicas do Cerrado e do Pantanal por ano.

Parte da Parceria Público-Privada (PPP) com a Sanesul, a MS Pantanal opera na coleta, afastamento e tratamento do esgoto em 68 municípios em que a estatal atua. A empresa faz parte do Grupo Aegea e se antecipou ao Marco Legal do Saneamento, sancionado em 2020, para impulsionar os investimentos a fim de que o MS atinja a universalização do saneamento até 2031.

Também estiveram presentes no encontro os membros do Rotary, Sérgio Philbois, Hermes de Araújo Rodrigues, Paulo César Branquinho, Alvimar de Castro, Amarildo Jonas Ricci, Ajax Leite, Edivaldo Leite, Wilson César, Francisco Claro, Edivaldo Soares da Silva, Júlio Saldivar, e Rubens Calixto Júnior, supervisor do polo de Dourados da MS Pantanal.

Três Lagoas: MS Pantanal conclui ligação de mais 60 moradias do bairro Jd. Alvorada

Postado por administrador em 30/set/2022 - Sem Comentários

A empresa de saneamento Ambiental MS Pantanal concluiu, nesta quinta-feira (29) a ligação de mais 60 moradias do bairro Jardim Alvorada, em Três Lagoas, ao sistema de tratamento de esgoto do município.

As ligações vêm como antecipação a obras de pavimentação que devem ser conduzidas na região. Somadas às ligações conduzidas no bairro Vila Alegre, no mês passado, elas representam a inclusão de mais de 500 moradores aos sistema de esgotamento sanitário da cidade.

A MS Pantanal faz parte do Grupo Aegea e está à frente dos serviços de coleta, afastamento e tratamento de esgoto em 68 municípios no Mato Grosso do Sul.

A empresa iniciou suas operações em maio do ano passado e, desde então, mais de 5 mil pessoas foram incluídas no sistema de esgotamento sanitário de Três Lagoas e outras 20 mil em outras regiões do Estado.

FIA/UOL: Ambiental MS Pantanal recebe prêmio Lugares Incríveis para Trabalhar 2022

Postado por administrador em 09/set/2022 - Sem Comentários

A empresa de saneamento Ambiental MS Pantanal recebeu, nesta sexta-feira (9), o prêmio “Lugares Incríveis para Trabalhar 2022”. Encarregada pelos serviços de coleta, afastamento e tratamento de esgoto em 68 municípios do Mato Grosso do Sul, a companhia deu início a suas operações em todas as regiões do Estado há pouco mais de um ano.

O prêmio é uma iniciativa do UOL e da FIA (Fundação Instituto de Administração) que reconhece as melhores práticas empresariais no quesito “gestão de pessoas”, bem como empresas que proporcionam ambientes saudáveis, agradáveis e produtivos aos colaboradores. Ao todo, 419 empresas de pequeno, médio e grande porte concorreram à premiação.

O reconhecimento veio na esteira da emissão do Certificado FEEx de Clima Organizacional, fruto de uma pesquisa interna junto aos colaboradores da empresa, conduzida pela FIA – ligada à Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo (USP).

“Através do comprometimento e união das nossas lideranças, conseguimos construir um ambiente de trabalho leve, harmonioso e extremamente produtivo. Desta forma, vencemos as grandes distancias entre os municípios, estreitamos a comunicação interna, fortalecemos a nossa cultura e consolidamos o propósito dos nossos trabalhos em todos os níveis da companhia”, disse o diretor-presidente da MS Pantanal, Celso Lino Paschoal.

“Em pouco tempo, formamos um grande time e com isso proporcionamos crescimento para diversos colaboradores. É um sentimento indescritível participar de uma premiação como essa”, continua Celso, que agradeceu a “todos os colaboradores que ajudaram a construir esse modelo de gestão inovador e que se esforçam diariamente para fazer diferença e impactar de forma positiva as regiões em que atuamos”. “Todo o nosso agradecimento e gratidão!”, conclui.

“Esse resultado a gente só consegue com gente… cada um fazendo sua parte, cada um dando seu melhor… aqui é uma composição de competências, e é isso que faz com que o time entregue, e que a gente possa ser classificado como empresa incrível”, disse Clayton Bezerra, diretor-executivo da MS Pantanal,  na esteira do anúncio do prêmio, aos colaboradores na sede em Campo Grande.

Já os coordenadores da FIA Business School, André Luiz Fischer e Joel Souza Dutra, disseram, em nota, que o certificado “é o reconhecimento de todo o esforço das lideranças, RH e demais profissionais em construir um ambiente de trabalho agradável e que favorece a construção de um time mais unido, de uma atmosfera de trabalho mais harmoniosa e de uma organização mais produtiva”.

A Ambiental MS Pantanal faz parte do Grupo Aegea – maior empresa privada de saneamento do país -, e conta com aproximadamente 270 colaboradores em todo o Mato Grosso do Sul. Desde o início de suas operações, mais de 22,5 mil pessoas já foram conectadas à rede de esgoto do estado.

Três Lagoas: Projeto leva teatro educativo a mais de 700 alunos da rede pública

Postado por administrador em 02/ago/2022 - Sem Comentários

A empresa de saneamento Ambiental MS Pantanal e a Cia. de teatro itinerante BuZum! abriram, nesta segunda-feira (1º), o circuito do espetáculo “Perigo Invisível”, no Mato Grosso do Sul, por meio da Secretaria Especial da Cultura (Ministério do Turismo), com incentivo da Lei Rouanet, e pelo Instituto Aegea – núcleo de inteligência socioambiental do Grupo Aegea, do qual a MS Pantanal faz parte.

Hoje, as apresentações aconteceram na Escola Municipal Professora Elaine de Sá, em Três Lagoas, onde mais de 700 alunos do ensino fundamental aprenderam sobre higiene básica numa peça repleta de cores, música e muita diversão.

Com a ajuda dos personagens Fungoso, Dona Bactéria e Virulão, o espetáculo da Cia. Buzum retrata a importância de hábitos simples de higiene pessoal, como lavar as mãos e escovar os dentes, para toda a sociedade, com lições tiradas da pandemia de coronavírus.

Mari Gutierrez, diretora de produção do BuZum!, explica que a concepção do espetáculo “Perigo Invisível! vai ao encontro de uma gama imensa de lições que cada pessoa, seja ela criança seja ela adulto, teve ao longo dos dois últimos anos de pandemia, e o quanto algo invisível, mas altamente contagioso, transformou rotinas e mudou hábitos para sempre. “E é justamente para reforçar esses aprendizados que ‘Perigo Invisível’ entra para um leque de obras já reconhecidas e aplaudidas pelo público que acompanha o BuZum!, como Curumim, O Grande Perigo, Caipira e Floresta Viva”, diz Mari.

“A companhia de teatro BuZum roda o Brasil com espetáculos itinerantes em um ônibus, e chega ao estado para apresentações gratuitas. As peças serão apresentadas em outros nove municípios do Estado. Ao todo, o espetáculo será levado a mais de 6 mil alunos da rede pública do Mato Grosso do Sul.

A agenda comtempla as seguintes cidades e datas: Três Lagoas, 1 e 2 de agosto. Aquidauana, 4 e 5 de agosto. Corumbá, 8, 9 e 10 de agosto. Bonito, 12 e 15 de agosto. Maracaju, no dia 16 de agosto. Nova Alvorada do Sul, em 17 de agosto. Dourados, nos dias 18, 19 e 20 de agosto. Naviraí, no dia 23 de agosto e Nova Andradina nos dias 24 e 25 de agosto.

Reinvenção

O palco do BuZum! agora é fora do ônibus, em uma estrutura ampla. A plateia assiste a cada sessão com distanciamento seguro, de forma protegida. É diversão garantida para o público com a vivacidade do tradicional teatro de bonecos. Logo, o que antes acontecia originalmente no BuZum!, dentro do ônibus, hoje é no palco.

Aprendizado fora e dentro da sala de aula

As apresentações gratuitas aliam o espetáculo do palco com o conteúdo da sala de aula. Isso porque o BuZum! fornece para as escolas material pedagógico para os educadores trabalharem temas transversais nas aulas. As crianças ganham um pequeno teatro de papel para brincarem e criarem as próprias histórias com seus bonecos e cenários.

O espetáculo Perigo Invisível

O espetáculo Perigo Invisível se passa na Central dos Germes Maus. Fungoso, Dona Bactéria e Virulão são os personagens centrais dessa história. Os três querem infectar o maior número de crianças possível, e aproveitam dos maus hábitos de higiene de algumas delas para colocar seu maquiavélico plano em prática. Após algumas crianças ficarem doentes por não lavarem bem as mãos, ou por não escovarem os dentes ou por se negarem a tomar banho, elas percebem que bons hábitos de higiene são fundamentais para uma vida saudável. Após alguns cuidados, as bactérias, fungos e vírus acabam morrendo e as crianças voltam a ter saúde. A peça mostra a importância dos cuidados básicos com a higiene e que cuidar de si é também cuidar do outro.

Faixa etária: 03 a 11 anos.

Duração do espetáculo: 25 minutos.

BuZum! 11 anos

Em setembro de 2022, a cia de teatro BuZum! completará 12 anos de experiências e tem motivos de sobra para comemorar: são mais de 500 mil quilômetros para realizar 15 mil apresentações para mais de 700 mil espectadores nas mais de 2.600 escolas públicas de 300 cidades, dos 11 estados brasileiros (São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Bahia, Minas Gerais, Maranhão, Espírito Santo, Rio Grande do Sul, Mato Grosso do Sul, Ceará e Santa Catarina), além de Porto Suarez, na Bolívia. Cada trajeto do BuZum! pode ser acompanhado pelo site www.buzum.com.br ou pelo perfil no Instagram @ProjetoBuZum.

A cia. é dirigida por Beto Andreetta, Jackson Íris e Mari Gutierrez, junto à equipe de produtores, montadores, motoristas, secretárias e atores. Todos levam à plateia itinerante novas possibilidades nas quais a imaginação e a fantasia se expandem nos contos com seus bonecos teatrais inovadores.

Ficha Técnica Perigo Invisível

Concepção: Beto Andreetta, Mari Gutierrez

Texto: Cládia Naum

Direção: Lívia Simardi

Elenco: Lívia Simardi e Rafael Francisco

Trilha sonora: César Maluf

Criação de cenário: Beto Andreetta

Criação e confecção de bonecos: Rosa

Direção de produção: Mari Gutierrez

Coordenação de produção: Aldo Andreetta

Produção executiva: Paloma Alves

Assistente de Produção: Fernanda Rocha

Produção de campo: Aldo Andreetta

Técnicos de som e luz: Régis da Silva

Design gráfico: Sato do Brasil

Direção administrativa: Jackson Íris

Assistente financeiro: Vania Rodrigues

Assessoria de imprensa: Isabela Barbosa

Realização: BuZum!

SERVIÇO

BuZum! e o espetáculo Perigo Invisível

Cidade: Três Lagoas

Data: 1 e 2 de agosto (segunda e terça-feira)

Local:  Escola Municipal Professora Elaine de Sá.

Endereço: Rua Jatobá,S/N,bairro Novo Oeste

Horários das apresentações:

Horários MANHÃ: 9h 9h40 10h20 11h – 4 sessões. Horários TARDE: 13h30 14h10 14h50 – 3 sessões.

Cidade: Aquidauana

Data: 4 de agosto (quinta-feira)

Local:  Escola Antônio Trindade

Endereço: R. Geovane Toscano de Brito, 380 – Trindade, Aquidauana – MS

Data 5 de agosto (sexta-feira)

Local: CMA Emília Alves Nogueira

Horários das apresentações:

Horários MANHÃ: 9h 9h40 10h20 11h – 4 sessões. Horários TARDE: 13h30 14h10 14h50 – 3 sessões.

Cidade: Corumbá

Data: 8 de agosto (segunda-feira)

Local:  EM Almirante Tamandaré.

Endereço: Rua Sete De Setembro S/N – Cravo Vermelho

Data: 9 de agosto (terça-feira)

Local: EM Prof. Djalma Sampaio Brasil.

Endereço: Rua Monte Castelo, 1738 – Bairro Aeroporto

Data: 10 de agosto (quarta-feira)

Local: CEMEI Mirian Mendes/ EM Clio Proença.

Endereço: Rua José Belmiro Maciel esquina com Rua Major Gama – Guatós.

Horários das apresentações: A definir.

Horários MANHÃ: 9h 9h40 10h20 11h – 4 sessões. Horários TARDE: 13h30 14h10 14h50 – 3 sessões.

Cidade: Bonito

Data: 12  (sexta-feira)

Local:  EM João Alves da Nóbrega.

Endereço: Rua : Santana do Paraíso, 1629 Vila América

Data: 15 de agosto (segunda-feira)

Local: Municipal João Alves de Arruda

Endereço: Rua Nakaba Matsumoto,340–BNH – Vila Recreio, Jardim Andreia, Bonito-MS

Horários das apresentações: 8h15 8h50 9h30 13h30 14h10 15h

Cidade: Maracajú

Data: 16 de agosto (terça-feira)

Local: A definir.

Endereço: A definir.

Horários das apresentações: A definir.

MANHÃ: A definir.

TARDE: A definir.

Cidade: Nova Alvorada do Sul

Data: 17 de agosto (quarta-feira)

Local:  Escola Ires Brunetto Antigo clube Benedito Coutinho

Endereço: Rua Irineu de Souza Araújo, centro

Horários das apresentações: A definir.

Horários MANHÃ: 9h 9h40 10h20 11h – 4 sessões

Horários TARDE: 13h30 14h10 14h50 – 3 sessões

Cidade: Dourados

Data: 18 de agosto (quinta-feira)

Local: Escola Municipal Laudemira Coutinho de Melo.

Endereço: Rua: Ayrton Sena nº 350 Jardim Santa Maria

Data: 19 de agosto (sexta-feira)

Local: Escola Municipal Lóide Bonfim Andrade

Endereço: Rua: Maria de Carvalho nº 560 Jardim Água Boa.

Data:22 de agosto (segunda-feira)

Local:  Escola Municipal Profª Efantina de Quadros.

Endereço: Rua: General Castelo Branco nº 1001 Jardim Flórida II

Horários das apresentações: A definir.

MANHÃ: A definir.

TARDE: A definir.

Cidade: Naviraí

Data: 23 de agosto (terça-feira)

Local:  Escola Municipal Miltton Dias Porto

Endereço: Rua Delci Maria Delevati – Jardim Paraiso, Naviraí – MS

Horários das apresentações:

MANHÃ: A definir.

TARDE: A definir.

Cidade: Nova Andradina

Data: 24 e 25 de agosto (quarta e quinta-feira)

Local:  A definir.

Endereço: A definir.

Horários das apresentações:

MANHÃ: A definir.

TARDE: A definir.

PPP do Saneamento completa um ano de operação no MS; veja o que foi feito

Postado por administrador em 05/maio/2022 - Sem Comentários

Considerada uma referência para todo o país, dado seu pioneirismo, a Ambiental MS Pantanal – empresa criada a partir da Parceria Público-Privada (PPP) entre a Sanesul e o Grupo Aegea – completa, nesta quinta-feira (5), um ano de operação no Estado.

Para marcar a data, a companhia vai inaugurar oficialmente sua nova sede em Campo Grande, em frente ao Parque das Nações Indígenas. As instalações foram decoradas com obras de jovens artistas sul-mato-grossenses, que têm como inspiração elementos da fauna e flora de Mato Grosso do Sul.

Logo na recepção, os visitantes da MS Pantanal deparam-se com quadros abstratos de ipês – árvore símbolo do Cerrado sul-mato-grossense – retratados pela mão da artista Priscila Rodrigues, natural de Dourados (MS). A nova sede contará também com fotografias dos artistas André Bittar, especialista em fotografia de natureza, famoso por capturar imagens de tuiuiús e araras em cenas majestosas no Pantanal de MS, e Felipe Coutinho.

Outro artista cujas obras marcam presença na decoração da nova sede é Alan Vilar. Conhecido por utilizar suportes não convencionais para suas artes, Vilar recorre a materiais da própria natureza – como folhas secas – como “telas” para seus bordados com motivos da fauna pantaneira.

Desde maio de 2021, com o início da chamada “operação plena” da PPP, mais de 15 mil sul-mato-grossenses já foram conectados à rede coletora de esgoto. A companhia está presente nos 68 municípios onde a Sanesul já atua e tem a meta de universalizar o saneamento básico no estado, ao lado da estatal, até 2031.

Para isso, a MS Pantanal conta com um time de mais de 270 colaboradores espalhados nos quatro cantos do Estado. A empresa investiu também em uma frota de 160 veículos leves e pesados, distribuídos a todas as regiões do Estado.

No primeiro ano de operação, a MS Pantanal ligou mais de 4,7 mil moradias à rede de esgoto. No mesmo período, foram realizados 12,8 mil serviços de desobstrução, para que o esgoto possa fluir com segurança até as estações de tratamento. Além disso, foram feitos mais de 5 mil serviços preventivos na rede e 22,7 mil serviços preventivos nas estações elevatórias que fazem parte da estrutura.

Universalização. A PPP surgiu com a meta de acelerar os investimentos para que o estado atinja a universalização do saneamento básico dentro da próxima década. A assinatura do contrato entre a Sanesul se deu em 5 de fevereiro do ano passado, na esteira da vitória da Aegea em um leilão promovido em outubro de 2020, logo após a sanção do Marco Legal do Saneamento.

O evento de assinatura do contrato contou a presença do governador do estado, Reinaldo Azambuja, do presidente da Sanesul, Walter Carneiro Jr., e de outros executivos da Aegea Saneamento. À época, Azambuja disse que “o grande legado desta parceria é a possibilidade de abreviar o tempo, podendo entregar mais ao estado em um curto espaço de tempo”. “Quem olha o projeto de saneamento verá que é voltado à qualidade de vida”, afirmou.

Com o cumprimento da meta estabelecida pela PPP, mais 1,7 milhão de pessoas terão acesso ao saneamento básico ao final de 2031, posicionando o MS como o primeiro estado do país a atingir a universalização. Para isso, estima-se um investimento de cerca de R$ 1 bilhão em obras por parte da iniciativa privada.

Sustentabilidade. Em linha com os pilares de sustentabilidade do Grupo Aegea, a MS Pantanal também já realizou o plantio de mais de 5 mil mudas de espécies nativas do Cerrado e do Pantanal para recuperação de áreas desmatadas em municípios como Bonito, Miranda, Ladário e Nova Andradina.

As árvores, plantadas com a ajuda de ONGs parceiras, foram cultivadas no recém-inaugurado Viveiro Isaac de Oliveira, que a AMSP mantém em parceria com a Águas Guariroba, em Campo Grande. O viveiro tem capacidade para produzir cerca de 50 mil mudas por ano, e a empresa pretende aumentar consideravelmente a produção.

Além disso, a MS Pantanal investiu em fontes renováveis de energia para suas unidades e está em curso a obra de uma usina solar em Cassilândia que atenderá a concessionária.

A usina terá capacidade de produção de 292 MWh/mês, o que equivale a energia média consumida por cerca de 1,8 mil residências. Estima-se que a unidade comece a operar em agosto deste ano.

Novos Equipamentos. Entre as melhorias trazidas pela PPP, estão os caminhões customizados da MS Pantanal, distribuídos em vários municípios do estado. O modelo foi desenhado com o objetivo de minimizar possíveis transtornos em serviços como manutenção, troca de tubulação e ligação na rede de esgoto.

Isso será possível porque esse tipo de caminhão reúne em um só veículo equipamentos como caçamba, retroescavadeira, baús para acondicionamento de ferramentas, guindaste e engate rápido para instrumentos hidráulicos.

Desde maio, a MS Pantanal já distribuiu 14 modelos da retro saneamento em cidades como Três Lagoas, Dourados, Ponta Porã, Nova Andradina, Naviraí, Aquidauana, Sidrolândia, Chapadão do Sul e Jardim.

Além disso, foram distribuídos 22 mini hidro jatos, usados na desobstrução da rede de esgoto e 6 caminhões hidro vácuo, utilizados para o mesmo fim.

Modernização. O sistema de monitoramento da rede coletora de esgoto também foi modernizado com a chegada da PPP, com a instalação de novas centrais digitais, que vieram substituir discadoras analógicas antigas e permitirão a coleta de dados operacionais mais detalhados nas estações elevatórias e de tratamento do esgoto (ETEs) do Estado.

No novo sistema, o quadro de comando de cada unidade envia dados sobre o funcionamento dos equipamentos da planta para um sistema informatizado.

A iniciativa incorpora inteligência de dados e tecnologia à gestão, permitindo a coleta e cruzamento de informações importantes e úteis para o desenvolvimento de estratégias de atuação e investimento.

Na prática, isso significa que o funcionamento de 192 estações elevatórias de esgoto (EEEs) está sendo monitorado pelo Centro de Controle Operacional (CCO) da empresa, em Campo Grande, em tempo real, 24 horas por dia, todos os dias.

A AMSP ainda instalou geradores de energia em estações elevatórias de esgoto (EEEs) de Três Lagoas, que darão apoio ao funcionamento em caso de queda de energia. A instalação desses equipamentos deve trazer mais segurança e eficiência às operações, uma vez que quedas prolongadas de energia podem resultar no extravasamento de esgoto.

Infra Inteligente. Antes de assumir as operações de afastamento, coleta e tratamento de esgoto, a AMSP conduziu o programa “Infra Inteligente”, num período de três meses a fim de mapear todos os ativos repassados pela Sanesul.

No período, foram percorridas cerca de 68 estações de tratamento de esgoto (ETEs) e 200 EEEs. Para isso, a empresa lançou mão de equipamentos de última geração, como drones capazes de reproduzir modelos tridimensionais das plantas.

Hoje, o mapeamento inteligente da estrutura de esgotamento sanitário do MS possibilita monitorar a saúde dos ativos como se fosse um exame médico, tornando o planejamento de manutenção da estrutura de saneamento mais assertiva.

Itaporã: alunos do Pequeno Príncipe visitam estação de tratamento de esgoto

Postado por administrador em 22/mar/2022 - Sem Comentários

Em celebração à Semana da Água, alunos do do 8º ano do Centro de Educação Pequeno Príncipe (CEPP), de Itaporã, realizaram uma visita guiada à Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) do município, operada pela MS Pantanal – empresa criada a partir da Parceria Público-Privada (PPP) entre Sanesul e o Grupo Aegea.

A visita faz parte de um projeto da escola em que os alunos desenvolverão textos e maquetes sobre o que aprenderam no passeio.

Onze alunos e três professores foram recebidos pelo supervisor do polo de Dourados da MS Pantanal, Rubens Calixto, e pelos colaboradores Marivaldo Farias (Segurança do Trabalho) e Antônio Cavalheiro. Eles puderam conhecer, passo-a-passo, todas as etapas do tratamento de esgoto e receberam panfletos educativos sobre o uso correto da rede e o descarte irregular de resíduos sólidos.

“A visita foi perfeita e superou nossas expectativas”, disse Gabrielly Gomes Leite, coordenadora do centro de educação. “Foi a primeira vez que nossos alunos tiveram a oportunidade de conhecer a estrutura de tratamento de esgoto da cidade”, acrescentou.

Já a pedagoga da escola, Maria Heloísa, ressaltou a importância de os alunos terem sido acompanhados pelo técnico de segurança. “Estavam prontos para nos receber”, disse.

Para Rubens Calixto, que guiou os alunos e professores no passeio, a visita foi importante para que os estudantes fossem conscientizados sobre o funcionamento da coleta e tratamento do esgoto, bem como sobre o bom uso rede.

Sobre a PPP. A MS Pantanal assumiu em maio do ano passado a operação dos serviços de coleta, afastamento e tratamento de esgoto em todos os 68 municípios em que a Sanesul já atua. A parceria pioneira se tornou viável após a sanção do Marco Legal do Saneamento, em 2020.

Ao lado da Sanesul, a companhia tem a meta de universalizar os serviços de saneamento básico até 2031, antecipando-se à legislação. Com o cumprimento da meta, mais 1,7 milhão de sul-mato-grossenses terão acesso aos serviços, posicionando o MS como o primeiro estado do Brasil a realizar tal feito. Para isso, estima-se um investimento de cerca de R$ 1 bilhão em obras por parte da iniciativa privada.

Dia da Mulher: conheça as lideranças femininas da PPP que vai universalizar o saneamento no MS

Postado por administrador em 08/mar/2022 - Sem Comentários

Apesar de parecer predominantemente masculino, o mundo da engenharia ambiental conta com um número cada vez maior de lideranças femininas. No Mato Grosso do Sul não é diferente. Por aqui, a Ambiental MS Pantanal (AMSP) – empresa criada a partir da Parceria Público-Privada (PPP) entre a Sanesul e o Grupo Aegea – é um exemplo dessa mudança.

Hoje, o MS é apontado como uma referência nacional no saneamento, por ter se antecipado ao Marco Legal que, em 2020, abriu caminho para que a iniciativa privada se unisse ao governo do estado na empreitada de universalizar o saneamento básico dentro dos próximos dez anos.

O cumprimento da meta deve beneficiar aproximadamente 1,7 milhão de sul-mato-grossenses e trazer mais condições de saúde aos moradores. É sabido, por exemplo, que além de afetar a população como um todo, a falta de saneamento compromete a saúde física e mental da mulher, mina sua produtividade, dificulta o acesso à educação e, consequentemente, contribui para a desigualdade de gênero.

De acordo com pesquisa realizada pela Instituto Trata Brasil, no país, uma em cada quatro mulheres não tem acesso adequado aos serviços de saneamento básico.

No MS, o caminho até a universalização conta com a participação de mulheres que lideram grandes grupos de homens que – juntos – ajudarão a alcançar a tão sonhada meta de universalização do saneamento, contribuindo para um ambiente menos desigual.

Em entrevista, um grupo de quatro jovens mulheres que ocupam cargos de liderança na MS Pantanal contam como foram suas trajetórias até chegarem onde chegaram, falam das mudanças que observaram pelo caminho, e compartilham suas perspectivas sobre como o olhar feminino pode contribuir para um ambiente de trabalho mais humano e colaborativo.

Zaida Siufi Pereira. Natural de Uberaba (MG), Zaida, 31, é coordenadora de Meio Ambiente na AMSP. Engenheira ambiental, ela conta que tem como inspiração sua mãe, dentista, que a incentivou na escolha da profissão. Quando Zaida tinha apenas 7 anos, perdeu o pai e teve que ajudar a mãe a cuidar da casa e dos dois irmãos.

Desde que começou a trabalhar no ramo do saneamento, Zaida viu “muita coisa mudar” no que diz respeito à representatividade feminina no mercado de trabalho. Ela conta que, no começo, era a única mulher em um grupo de homens que monitoravam a rede de esgoto em Cuiabá (MT) e que, de lá pra cá, o quadro mudou substancialmente, com a contratação de várias mulheres para cargos estratégicos até então ocupados por homens.

“Confesso que me sentia privilegiada ao me ver como a única mulher no grupo… sentia meu trabalho reconhecido”, diz. “No entanto, comecei a refletir sobre o que isso realmente, significava: falta de representatividade feminina no mercado de trabalho”, pondera. “Fico feliz em ver que as coisas estão mudando”.

Zaida diz ainda que, ao longo de sua trajetória profissional, conheceu mulheres que a inspiraram e incentivavam na empresa. “Somos poucas, mas somos fortes e unidas… o caminho para um mundo mais igual é a união e o compartilhamento de experiências que sirvam de inspiração para outras mulheres”.

Para Zaida, mãe de uma menina de 3 anos, o olhar feminino tem muito a contribuir no ambiente de trabalho. “Eu, que sou mãe, quero o melhor para a minha filha”, diz. “Nós, mulheres, temos esse olhar mais cuidadoso… e quando a gente fala em saneamento, a gente fala em melhorar a qualidade de vida das pessoas; é isso que eu quero para minha filha”, completa.

Letícia Yule. Natural de Campinas (SP), a coordenadora do polo de Corumbá da MS Pantanal, Letícia Yule, 32, lidera cerca de 50 colaboradores homens, em diversos municípios da região.

Formada em Engenharia Civil, ela conta que escolheu a profissão por preferir as ciências exatas, e que não se preocupou com a percepção de que o curso era frequentado predominantemente por homens.

Assim como Zaida, Letícia tem a mãe como exemplo de inspiração. Ela conta que, com o divórcio dos pais, quando ainda era pequena, passou por momentos difíceis com a mãe que, além de estudar e trabalhar, cuidava de Letícia praticamente sozinha. “Minha mãe é minha inspiração. A vi trabalhar de manhã, de tarde e à noite, estudar e cuidar de mim, com ajuda de familiares”, conta.

Letícia diz ainda que, ao longo de sua trajetória profissional, viu-se em momentos em que precisou ser “mais firme”, principalmente quando assumiu cargos de chefia. “Às vezes, quando chego em um lugar novo, percebo que há alguma resistência por parte do colaborador que nunca teve uma chefe mulher…. mas é uma questão de tempo até que certa barreira seja rompida e eles vejam que o fato de eu ser uma mulher é apenas um detalhe”, diz.

Para Letícia, seu olhar feminino ajuda muito no relacionamento com os colaboradores. “Eu acho que o olhar feminino acrescenta no detalhe; mais sutil e humano ao abordar o colaborador”, diz. “Nós, mulheres, muitas vezes sabemos ouvir o colega, que se sente mais confortável para se abrir, caso esteja passando por uma situação difícil em casa, por exemplo”. “Somos uma empresa, mas também somos humanos… às vezes não vou poder ajudar, mas vou poder ouvir”, acrescenta.

Daniela Gutierres. Formada em Engenharia Sanitária Ambiental, Daniela é responsável pelo controle de qualidade dos serviços de tratamento e laboratório da MS Pantanal, nos 68 municípios onde a PPP atua no Mato Grosso do Sul.

Entre suas funções, ela é responsável pela performance das estações de tratamento de esgoto (ETEs) e as avaliações laboratoriais do interior do estado, além dos índices de qualidade, apoiando a operação.

Com apenas 18 anos, Daniela iniciou sua carreira no Grupo Aegea como estagiária no Centro de Controle de Operações (CCO) da concessionária Águas Guariroba, em Campo Grande. Ela conta que, à época, a representatividade feminina era pouco expressiva no setor, mas que a situação foi mudando gradualmente, com a contratação de novas líderes femininas.

Tal qual Zaida e Letícia, sua mãe é seu maior exemplo de inspiração feminina. “Minha mãe criou – praticamente sozinha – a mim e a minha irmã… Ela nunca mediu esforços no trabalho, nunca reclamava e estava sempre com um sorriso no rosto”, conta. “Por ela nunca ter desistido, ela é a minha inspiração de vida”, acrescenta.

Para Daniela, o olhar feminino nas relações com os colegas faz toda a diferença. “Temos delicadeza na comunicação, e os resultados disso são perceptíveis”, diz a engenheira.

Fernanda Jara. Supervisora do polo de Três Lagoas da MS Pantanal, Fernanda, 27, também está entre as mais jovens líderes da companhia, liderando um grupo de cerca de 24 homens, em três municípios da região.

Formada em Engenharia Civil, a campo-grandense conta que o fato de o curso ser predominantemente masculino não a intimidou, e que ela contou com todo o apoio de sua família na escolha da profissão.

Até chegar a seu posto de liderança, passou, no entanto, por situações de discriminação por ser mulher, quando trabalhava como empreiteira em uma empresa da capital. “Trabalhei em uma empresa em que eu era a única mulher, e estava começando a minha carreira. Sofri certa resistência por parte dos colegas na hora de impor minha autoridade, mas, hoje, onde estou, não vejo mais esse problema… há respeito entre os colegas”, diz.

Para Fernanda, que está há cerca de um ano na MS Pantanal, um dos melhores momentos de sua carreira foi quando ela teve a oportunidade de ser supervisora do polo de Três Lagoas. “Me senti super realizada”, diz. “Aqui existem boas perspectivas de crescimento para nós, mulheres… A gente vê acontecer”, conclui.

Em Bonito, coletivo planta mudas para recuperar vegetação que margeia o Rio Formoso

Postado por administrador em 25/fev/2022 - Sem Comentários

O coletivo Mil Pelo Planeta, em parceria com a Casa Vagalume e a Ambiental MS Pantanal – empresa criada a partir da Parceria Público-Privada (PPP) entre a Sanesul e o Grupo Aegea – realizou o plantio de mudas de espécies nativas do Cerrado para alargamento da vegetação que margeia o Rio formoso, em Bonito (MS), na última quarta-feira (23).

Foram doadas 250 mudas de espécies como jacarandá, moringa, ipê roxo e cedro rosa pela MS Pantanal. O plantio contou com a participação de agrônomos, biólogos e voluntários engajados na causa ambiental e em ações de recuperação do bioma.

Idealizador do Mil Pelo Planeta, o publicitário Neo Ávila explicou que o modelo de plantio escolhido foi o de “muvuca da natureza”, em que as mudas são plantadas juntamente com várias sementes de espécies nativas que protegem as árvores contra pragas e intempéries. “As sementes que utilizamos no plantio dão apoio ao crescimento das mudas, uma vez que acabam virando alvo de insetos, como formigas, que em vez de consumirem as mudas, prejudicando o seu crescimento, preferem as sementes da muvuca”, disse.

“As árvores plantadas neste sistema contam com uma rede de proteção das sementes”, endossou o especialista em plantio agroflorestal Thiago Luiz, que acompanhou a ação. “Além de protegerem as mudas, as sementes que compõem a muvuca atraem insetos polinizadores como a abelha e a libélula e acabam por auxiliar também no processo natural de recuperação da vegetação local”, explica.

Sustentabilidade. Em parceria com a MS Pantanal, o Mil Pelo Planeja já plantou mais de 2 mil mudas de espécies nativas em Bonito, município considerado capital do ecoturismo no Brasil. Parte dessas mudas também foram utilizadas para a recuperação da mata ciliar do Rio Formosinho.

Em novembro de 2020, o coletivo realizou o plantio de mil mudas no sistema agroflorestal e acompanha o desenvolvimento das plantas – frutíferas, em sua maioria -, que estão sendo utilizadas na subsistência de comunidades locais.

“As mudas doadas pela MS Pantanal estão prosperando”, disse Dona Élida, proprietária do terreno em que o coletivo realizou a ação em novembro. “Estamos cuidando muito bem dessas árvores, porque é delas que tiramos nosso sustento”, acrescentou.

Sobre a PPP. A MS Pantanal assumiu em maio do ano passado a operação plena de serviços de coleta, afastamento e tratamento de esgoto em todos os 68 municípios em que a Sanesul já atua. A parceria pioneira se tornou viável após a sanção do Marco Legal do Saneamento, em 2020.

Ao lado da Sanesul, a companhia tem a meta de universalizar os serviços de saneamento básico até 2031, antecipando-se à legislação. Com o cumprimento da meta, mais 1,7 milhão de sul-mato-grossenses terão acesso aos serviços, posicionando o MS como o primeiro estado do Brasil a realizar tal feito. Para isso, estima-se um investimento de cerca de R$ 1 bilhão em obras por parte da iniciativa privada.