MS Pantanal inicia extensão da rede de esgoto em Dourados e vai conectar mais 190 moradias

Postado por administrador em 15/out/2021 - Sem Comentários

A Ambiental MS Pantanal (AMSP) – empresa criada a partir da Parceria Público-Privada (PPP) entre a Sanesul e o Grupo Aegea – iniciou, nesta semana, obras de extensão da rede de esgoto de Dourados, e vai ligar mais 190 moradias no sistema de esgotamento sanitário da cidade.

A rede será estendida em cerca de 1.600 metros e deve beneficiar aproximadamente 570 futuros moradores do Loteamento Social Cidadania – um projeto da Agência de Habitação Popular (Agehab), do governo do estado. Os lotes estão dispostos entre os bairros Dioclésio Artuzi, Ibirapuera e Harrisom de Figueiredo.

A PPP assumiu a operação plena dos serviços de coleta, afastamento e tratamento de esgoto em maio, nos 68 municípios onde a Sanesul está presente. Desde então, equipes e veículos da PPP são vistos em todas regiões de MS.

Desde que começou a operar em Dourados, a MS Pantanal já conectou 228 moradias e realizou 1.350 serviços de desobstrução da rede de esgoto, para que o efluente possa fluir com mais segurança pela rede, minimizando o risco de extravasamento.

Ao lado da Sanesul, a MS Pantanal tem a meta de universalizar o saneamento básico no estado até o final de 2031, o que significa que mais 1,7 milhão de sul-mato-grossenses terão acesso à rede de esgoto, totalizando uma cobertura de 98% da população.

Ao atingir a meta, o estado se posicionará como o primeiro do país a universalizar o saneamento básico. Para isso, a MS Pantanal estima um investimento de R$ 1 bilhão em obras.

MS Pantanal reconstrói rede de esgoto destruída por voçoroca em Nova Andradina

Postado por administrador em 30/set/2021 - Sem Comentários

A Ambiental MS Pantanal (AMSP) – empresa criada a partir da Parceria Público-Privada (PPP) entre a Sanesul e o Grupo Aegea – concluiu, nesta semana, os trabalhos de reconstrução de um trecho da rede de esgoto que foi destruída por uma voçoroca em Nova Andradina, município na região Sudeste do Mato Grosso do Sul.

A voçoroca consiste em um fenômeno geológico caracterizado pela formação grandes buracos de erosão causadas por chuvas intensas e intempéries em solos arenosos.

A reconstrução da rede de esgoto, vai beneficiar cerca de cinco famílias que vivem nas proximidades da Rua Antônio Duarte com a Rua Espírito Santo, próximo ao bairro Morada do Sol.

A área onde ocorreu o processo erosivo teve reconhecida a situação de emergência pela Defesa Civil do Estado no ano passado, por meio do Ministério do Desenvolvimento Regional.

Sobre a PPP. A Ambiental MS Pantanal está presente em Nova Andradina desde maio, com a missão de universalizar o acesso ao esgotamento sanitário, ao lado da Sanesul. Equipes e veículos da companhia já são vistos desde então, em todos os municípios em que a estatal atua.

Só em Nova Andradina, a MS Pantanal já conectou cerca de 100 famílias à rede de esgoto, beneficiando aproximadamente 350 pessoas. Com a PPP, espera-se que todo o estado atinja a universalização até 2031, com a inclusão de mais 1,7 milhão de sul-mato-grossenses no sistema de esgoto. Para isso, a empresa estima um investimento de R$ 1 bilhão em obras.

MS avança com obrigações do Marco Legal e deve ser o 1º a universalizar esgoto, diz secretário nacional de Saneamento

Postado por administrador em 28/set/2021 - Sem Comentários

Ao se antecipar ao Marco Legal do Saneamento, o Mato Grosso do Sul tem avançado com as obrigações da lei e deve ser o primeiro estado do país a alcançar a universalização dos serviços de esgotamento sanitário, disse o secretário nacional de Saneamento, Pedro Ronald Maranhão, que cumpriu agenda em Campo Grande, nesta terça-feira (28).

Em coletiva de imprensa realizada na sede da Sanesul, o secretário explicou que a legislação sancionada no ano passado teve como um dos objetivos garantir segurança jurídica para que a iniciativa privada se interessasse em projetos de universalização, a fim de garantir mais investimentos para que toda a população tenha acesso aos serviços dentro dos próximos dez anos.

A meta do Governo Federal com o novo marco é alcançar a universalização até 2033, garantindo que pelo menos 90% da população tenha acesso ao tratamento e coleta de esgoto no país. No MS, no entanto, com a Parceria Público-Privada (PPP) do Saneamento, estima-se que esse objetivo deva ser alcançado ainda em 2031.

Também presente na coletiva, o diretor-presidente da Sanesul, Walter Carneiro Jr., explicou que o cenário no MS é muito diferente do restante do país, com o estado já caminhando para cumprir com as obrigações da nova lei.

“Mato Grosso do Sul avançou bastante no setor de saneamento e como o próprio secretário disse, podemos observar que saímos na frente”, disse o chefe da Sanesul. “Somos referência para o Brasil em termos de tomada de decisão, com mais de 55% de cobertura de esgoto”, acrescentou.

Em outubro do ano passado, o leilão da Sanesul para a criação de uma PPP que cumprisse a meta de universalização foi vencido pelo Grupo Aegea, dando origem à empresa Ambiental MS Pantanal, que já está presente em todos os 68 municípios em que a estatal já atua.

A companhia assumiu a operação plena dos serviços de coleta, afastamento e tratamento de esgoto em maio deste ano e, desde então, equipes e veículos da PPP já podem ser vistos em todas as regiões do Estado. A expectativa é que, ao final de 2031, mais 1,7 milhão de sul-mato-grossenses sejam incluídos na cobertura da rede de esgoto. Para isso, a MS Pantanal estima um investimento de R$ 1 bilhão em obras.

MS Pantanal conclui ligação de 255 moradias à rede de esgoto de Três Lagoas

Postado por administrador em 30/ago/2021 - Sem Comentários

A Ambiental MS Pantanal (AMSP), empresa criada a partir da Parceria Público-Privada (PPP) entre a Sanesul e o Grupo Aegea, concluiu, nesta semana, a ligação de 255 habitações à rede de esgoto, em Três Lagoas.

Foram finalizadas ligações no bairro Nova Americana e no Jardim Glória. Estima-se que, ao todo, cerca de 900 pessoas sejam beneficiadas pelos serviços.

Os trabalhos fazem parte de um plano da PPP para disponibilizar ligações em lotes urbanizados que já possuem rede de esgoto disponível, levando mais qualidade de vida à população sul-mato-grossense.

Em maio, a empresa assumiu as operações de coleta e tratamento de esgoto em Três Lagoas e em outros 67 municípios do estado onde a Sanesul já atua, na esteira de um período de três meses em que os ativos da estatal foram cadastrados e as plantas digitalizadas. Desde então, equipes e veículos da PPP são vistos em todas as regiões do Mato Grosso do Sul.

A MS Pantanal tem a meta de, ao lado da Sanesul, universalizar o esgotamento sanitário no estado até o final de 2031, quando mais 1,7 milhão de sul-mato-grossenses devem ter acesso aos serviços, totalizando uma cobertura de 98% da população. Com isso, o MS será o primeiro estado do país a atingir a universalização do saneamento básico.

Novos equipamentos. No final de julho, Três Lagoas ainda recebeu uma terceira unidade do caminhão customizado da MS Pantanal, chamado de retro saneamento. O veículo é apontado como uma solução para o setor de saneamento e foi desenhado com o objetivo de minimizar possíveis transtornos causados por obras.

A retro saneamento traz mais agilidade a serviços como manutenção, troca de tubulação, ligação da rede de esgoto, entre outros. Isso será possível porque esse tipo de caminhão reúne – em um só veículo – equipamentos como caçamba, retroescavadeira, baús para acondicionamento de ferramentas, guindaste e engate rápido para instrumentos hidráulicos.

Com isso, o deslocamento de vários veículos para a realização de um só serviço não se faz mais necessário, resultando na redução da emissão de poluentes e de possíveis transtornos no tráfego das cidades. Municípios como Dourados, Ponta Porã, Nova Andradina, Naviraí, Aquidauana, Sidrolândia, Jardim e Chapadão do Sul também receberam modelos da retro saneamento da MS Pantanal.

Além disso, a AMSP investiu em novos geradores de energia elétrica, que darão apoio ao funcionamento das estações elevatórias de esgoto Caçula e Difusora, em Três Lagoas. A instalação desses equipamentos deve trazer mais segurança e eficiência às operações.

Os geradores serão instalados como uma medida preventiva, uma vez que uma queda prolongada da rede elétrica pode interromper o funcionamento das elevatórias que bombeiam o esgoto bruto produzido pelo município e causar possível extravasamento do efluente.

Referência Nacional, PPP do Saneamento completa 100 dias de operação no MS; veja o que já foi feito

Postado por administrador em 23/ago/2021 - Sem Comentários

Considerada uma referência para todo o país, dado seu pioneirismo, a Parceria Público-Privada (PPP) entre a Sanesul e o Grupo Aegea – que deu origem à empresa Ambiental MS Pantanal (AMSP) – completou, neste mês, cem dias de operação no Mato Grosso do Sul.

Desde maio, com o início da chamada “operação plena” da AMSP, cerca de 6,3 mil sul-mato-grossenses já foram conectados à rede coletora de esgoto. A companhia está presente nos 68 municípios onde a Sanesul já atua e suas equipes e veículos já são vistos trabalhando em todas as regiões do Estado.

De lá pra cá, os avanços foram notáveis. Apenas nos primeiros três primeiros meses de operação, a MS Pantanal já ligou cerca de 1,8 mil moradias à rede de esgoto. Além disso, foram realizados 5,5 mil serviços de desobstrução, para que o esgoto possa fluir com segurança.

Universalização. A PPP surgiu com a meta de acelerar os investimentos para que o estado atinja a universalização do saneamento básico dentro dos próximos dez anos. A assinatura do contrato entre a Sanesul se deu em 5 de fevereiro deste ano, na esteira da vitória da Aegea em um leilão promovido em outubro de 2020, logo após a sanção do Marco Legal do Saneamento.

O evento de assinatura do contrato contou a presença do governador do estado, Reinaldo Azambuja, do presidente da Sanesul, Walter Carneiro Jr., e de outros executivos da Aegea Saneamento. À época, Azambuja disse que “o grande legado desta parceria é a possibilidade de abreviar o tempo, podendo entregar mais ao estado em um curto espaço de tempo”. “Quem olha o projeto de saneamento verá que é voltado à qualidade de vida”, afirmou.

Celso Paschoal, diretor-presidente da MS Pantanal, explica que uma das expectativas com a chegada da iniciativa privada na modelagem é a de continuar trazendo inovações e possibilidades para otimizar a execução dos serviços. “A MS Pantanal veio pra isso; impulsionar os investimentos, trazer melhorias, agilidade e eficiência nos processos, bem como minimizar possíveis transtornos na execução dos trabalhos”, disse.

Com o cumprimento da meta estabelecida pela PPP, mais 1,7 milhão de pessoas terão acesso ao saneamento básico ao final de 2031, posicionando o MS como o primeiro estado do país a atingir a universalização. Para isso, estima-se um investimento de cerca de R$ 1 bilhão em obras por parte da iniciativa privada.

Novos Equipamentos. Entre as melhorias trazidas pela PPP, estão os caminhões customizados da MS Pantanal, que foram distribuídos em vários municípios do estado. O modelo foi desenhado com o objetivo de minimizar possíveis transtornos em serviços como manutenção, troca de tubulação e ligação na rede de esgoto.

Isso será possível porque esse tipo de caminhão reúne em um só veículo equipamentos como caçamba, retroescavadeira, baús para acondicionamento de ferramentas, guindaste e engate rápido para instrumentos hidráulicos.

Com o novo caminhão, o deslocamento de vários veículos para a realização de um só veículo não se faz mais necessário, resultando na redução de poluentes e possíveis transtornos no tráfego das cidades. Desde maio, a MS Pantanal já distribuiu 14 modelos da retro saneamento em cidades como Três Lagoas, Dourados, Ponta Porã, Nova Andradina, Naviraí, Aquidauana, Sidrolândia, Chapadão do Sul e Jardim.

Além disso, foram 24 mini hidro jatos, usados na desobstrução da rede de esgoto e 4 caminhões hidro jato, utilizados para o mesmo fim. Em Corumbá, a MS Pantanal disponibilizou uma retroescavadeira com rompedor, dadas as peculiaridades do solo da região, localizada no Maciço do Urucum. O solo da região é conhecido por seus depósitos de minérios que o tornam mais difícil de ser rompido.

Modernização. O sistema de monitoramento da rede coletora de esgoto também foi modernizado com a chegada da PPP, com a instalação de novas centrais digitais, que vieram substituir discadoras analógicas antigas e permitirão a coleta de dados operacionais mais detalhados nas estações elevatórias e de tratamento do esgoto (ETEs) do estado.

No novo sistema, o quadro de comando de cada unidade envia dados sobre o funcionamento dos equipamentos da planta para um sistema informatizado.

A iniciativa incorpora inteligência de dados e tecnologia à gestão, permitindo a coleta e cruzamento de informações importantes e úteis para o desenvolvimento de estratégias de atuação e investimento.

Na prática, isso significa que o funcionamento de 192 estações elevatórias de esgoto (EEEs) está sendo monitorado pelo Centro de Controle Operacional (CCO) da empresa, em Campo Grande, em tempo real, 24 horas por dia, todos os dias.

A AMSP ainda instalou geradores de energia em estações elevatórias de esgoto (EEEs) de Três Lagoas, que darão apoio ao funcionamento em caso de queda de energia. A instalação desses equipamentos deve trazer mais segurança e eficiência às operações, uma vez que quedas prolongadas de energia podem resultar no extravasamento de esgoto.

Infra Inteligente. Antes de assumir as operações de afastamento, coleta e tratamento de esgoto, em maio, a AMSP conduziu o programa Infra Inteligente, da Aegea – maior empresa privado de saneamento do país -, num período de três meses para mapear todos os ativos repassados pela Sanesul.

No período, foram percorridas cerca de 68 estações de tratamento de esgoto (ETEs) e 200 EEEs. Para isso, a empresa lançou mão de equipamentos de última geração, como drones capazes de reproduzir modelos tridimensionais das plantas.

Reconhecido internacionalmente, o Infra Inteligente foi destaque no Fórum do Saneamento realizado na Bolsa de Valores de São Paulo, em julho. À época, o diretor-sênior de projetos da Aegea, Wagner Carvalho – um dos palestrantes do evento – explicou que o mapeamento inteligente da estrutura de esgotamento sanitário do MS possibilita monitorar a saúde dos ativos “como se fosse um exame médico”.

De acordo com o diretor, o Infra Inteligente viabiliza a gestão intensiva dessa estrutura. “Com isso, é possível traçar estratégias mais assertivas de investimento e manutenção do patrimônio”, disse.

Elevatórias de esgoto de Três Lagoas recebem novos geradores de energia

Postado por administrador em 16/ago/2021 - Sem Comentários

Próxima à universalização dos serviços de saneamento básico, a cidade de Três Lagoas recebeu, nesta quinta-feira (12), novos geradores de energia elétrica, que darão apoio ao funcionamento das estações elevatórias de esgoto Caçula e Difusora, operadas pela Ambiental MS Pantanal.

A instalação desses equipamentos deve trazer mais segurança e eficiência às operações. Os geradores serão instalados como uma medida preventiva, uma vez que uma queda prolongada da rede elétrica pode interromper o funcionamento das elevatórias que bombeiam o esgoto bruto produzido pelo município e causar possível extravasamento do efluente.

Luis Gustavo dos Santos, supervisor da regional de Três Lagoas da AMSP, explica que os geradores devem evitar esse tipo de ocorrência. “Agora que as elevatórias contam com esses geradores, não é por falta de energia que as estruturas deixarão de funcionar”, disse.

Sobre a PPP. A MS Pantanal nasceu da Parceria Público-Privada (PPP) entre o Grupo Aegea e a Sanesul, na esteira da sanção do Marco Legal do Saneamento, em 2020. A empresa tem como objetivo a universalização dos serviços de esgotamento sanitário no estado até 2031.

Em maio deste ano, a AMSP assumiu as operações de afastamento, coleta e tratamento de esgoto nos 68 municípios em que a Sanesul já atua. Após um período de três meses de mapeamento de ativos e digitalização das plantas entregues pela estatal, a companhia do Grupo Aegea vem investindo na modernização da estrutura e distribuição de veículos e equipes.

Novas ligações. Neste mês, a MS Pantanal vai concluir a ligação de 255 moradias à rede de esgoto de Três Lagoas. Do total, 149 ligações já foram concluídas no bairro Nova Americana, e mais de 100 moradias do bairro Jardim Glória serão conectados à rede nos próximos dias.

Estima-se que esses trabalhos beneficiem cerca de 800 pessoas. Essas obras fazem parte de um plano da PPP para disponibilizar ligações em lotes urbanizados que já possuem rede de esgoto disponível, levando mais qualidade de vida à população.

Novos Equipamentos. Entre as melhorias trazidas pela PPP, estão os caminhões customizados da MS Pantanal, que foram distribuídos em vários municípios do MS. Três Lagoas recebeu três unidades do modelo, que foi desenhado com o objetivo de minimizar possíveis transtornos em serviços como manutenção, troca de tubulação e ligação na rede de esgoto, por exemplo.

Isso será possível porque esse tipo de caminhão reúne – em um só veículo – equipamentos como caçamba, retroescavadeira, baús para acondicionamento de ferramentas, guindaste e engate rápido para instrumentos hidráulicos.
Com isso, o deslocamento de vários veículos para a realização de um só veículo não se faz mais necessário, resultando na redução de poluentes e possíveis transtornos no tráfego das cidades.

Três Lagoas: MS Pantanal executa ligação de 227 moradias à rede de esgoto

Postado por administrador em 05/ago/2021 - Sem Comentários

A Ambiental MS Pantanal, empresa criada a partir da Parceria Público-Privada (PPP) entre a Sanesul e o Grupo Aegea, está executando a ligação de 227 habitações à rede de esgoto, em Três Lagoas.

Nesta semana, serão concluídas 149 ligações no bairro Nova Americana e, nos próximos dias, mais 78 no bairro Jardim Glória. Estima-se que, ao todo, cerca de 726 pessoas serão beneficiadas.

Em maio, a empresa assumiu as operações de coleta e tratamento de esgoto nos 68 municípios do estado onde a Sanesul já atua, na esteira de um período de três meses em que os ativos da estatal foram cadastrados e as plantas digitalizadas. Desde então, equipes e veículos da PPP são vistos em todas as regiões do Mato Grosso do Sul.

Novos equipamentos. No final de julho, Três Lagoas ainda recebeu uma terceira unidade do caminhão customizado da MS Pantanal, chamado de retro saneamento. O veículo é apontado como uma solução para o setor de saneamento e foi desenhado com o objetivo de minimizar possíveis transtornos causados por obras.

A retro saneamento traz mais agilidade a serviços como manutenção, troca de tubulação, ligação da rede de esgoto, entre outros. Isso será possível porque esse tipo de caminhão reúne – em um só veículo – equipamentos como caçamba, retroescavadeira, baús para acondicionamento de ferramentas, guindaste e engate rápido para instrumentos hidráulicos.

Com isso, o deslocamento de vários veículos para a realização de um só serviço não se faz mais necessário, resultando na redução da emissão de poluentes e de possíveis transtornos no tráfego das cidades.

 

Referência nacional, modelo de universalização de esgoto avança sistematicamente em MS

Postado por administrador em 28/jul/2021 - Sem Comentários

Enquanto a maioria dos estados brasileiros encontra dificuldades no grande desafio de atingir o cumprimento das metas estabelecidas pela legislação no setor de saneamento básico, o processo de universalização do esgotamento sanitário avança gradativamente em Mato Grosso do Sul.

A lei 14.026/2020 (Marco do Saneamento) fixa uma meta de cobertura de coleta e tratamento de esgoto à 90% da população até dezembro de 2033. Por aqui, as áreas urbanas dos municípios de Alcinópolis, Bonito, Jateí, Paranaíba, Porto Murtinho, Ribas do Rio Pardo e Tacuru já possuem os serviços de água e esgoto universalizados, antecipando-se ao marco legal do ano de 2033.

Com a conclusão das obras promovidas pela Sanesul, Três Lagoas, Amambai, Bodoquena, Brasilândia, Caracol, Chapadão do Sul, Dourados, Laguna Carapã, Paranhos, Ponta Porã e Santa Rita do Pardo também terão os serviços universalizados até o final de 2025.

O bom desempenho deve-se a um plano ousado de investimento no saneamento, estabelecido pelo governo do estado em parceria com a Sanesul, que ganhou reforço da iniciativa privada por meio da Parceria Público-Privada (PPP), num contrato estabelecido este ano.

Sobre a PPP. A modelagem da PPP, que fará as demais obras e pretende universalizar o esgotamento sanitário no MS, é pioneira e serve de exemplo para outras companhias de saneamento do país.

Com o Grupo Aegea saindo vencedor do leilão realizado em outubro de 2020, Mato Grosso do Sul vai entrar para a história como o primeiro estado a universalizar o sistema de esgoto no país – um objetivo a ser atingido em até 10 anos.

Fruto da parceria da Sanesul com o Grupo Aegea, nasceu a empresa Ambiental MS Pantanal, que assumiu a operação plena do sistema de coleta e tratamento de esgoto em maio. Equipes e veículos da empresa já podem ser vistos por moradores de todas as regiões do estado.

“A PPP irá proporcionar a união de duas reconhecidas empresas, o que irá potencializar a capacidade de entregas das obras necessárias, bem como a condução das operações com a excelência operacional que as famílias sul-mato-grossenses realmente merecem”, disse Paulo Antunes, diretor de relações institucionais da MS Pantanal.

Já diretor-presidente da empresa, Celso Paschoal, explica que a MS Pantanal vem para impulsionar os investimentos a fim de garantir o cumprimento da meta de universalização.

“Uma das expectativas com a chegada da iniciativa privada na modelagem é a de continuar trazendo inovações e possibilidades para otimizar a execução dos serviços”, disse. “A MS Pantanal veio pra isso: impulsionar os investimentos, trazer melhorias, agilidade, eficiência nos processos, bem como minimizar possíveis transtornos na execução do trabalho. Essas são algumas das nossas obrigações previstas no contrato”, afirma.

Moradores de 68 municípios serão beneficiados com a rede coletora de esgoto em casa para que se possa fazer a destinação correta do resíduo produzido. Ao final de 2031, mais 1,7 milhão de sul-mato-grossenses terão acesso ao saneamento básico.

Segundo o contrato da PPP, serão investidos cerca de R$ 3,8 bilhões de capital privado nos sistemas de coleta e tratamento de esgoto em Mato Grosso do Sul.

Avançar cidades. O Programa Avançar Cidades Saneamento tem o objetivo de promover a melhoria do saneamento básico do país. A Sanesul cadastrou seus projetos e o processo seletivo dos municípios foi conduzido pelo Ministério das Cidades. Os recursos da estatal foram viabilizados por meio de contratação de crédito junto à Caixa Econômica.

A primeira etapa do Programa Avançar Cidades ocorreu em 2018 quando 16 municípios do MS foram contemplados. Em setembro de 2019, mais 16 cidades. Já em 2020, outras 14 cidades assinaram contrato do Programa com a Caixa e Sanesul.

No total, 46 municípios foram beneficiados, e o montante viabilizado foi de R$ 445 mil reais em recursos da própria empresa que já estão sendo investidos no esgotamento sanitário em MS.

Para o diretor-presidente da Sanesul, Walter Carneiro Jr., “a qualidade do saneamento básico interfere diretamente na qualidade de vida das pessoas e o papel do poder público é fundamental, juntamente com a participação da iniciativa privada, visando o cumprimento das metas estabelecidas para a universalização do esgotamento sanitário em MS”.

 

Sanesul autoriza investimentos de R$ 2,1 milhões em Coxim

Postado por administrador em 16/jul/2021 - Sem Comentários

Com o intuito de acelerar os investimentos no sistema de saneamento básico do Mato Grosso do Sul – e atingir a meta de universalização dos serviços dentro dos próximos dez anos – a Sanesul autorizou, nesta quinta-feira (15), investimentos de R$ 2,1 milhões no município de Coxim.

De acordo com a estatal, parte do investimento será destinado a melhorias do bombeamento das Estações Elevatórias de Esgoto (ETEs) dos bairros Santa Maria e Presidente Vargas. Outra parte será destinada à estrutura de abastecimento de água

“Durante dois meses vamos viajar por todo Estado entregando as obras que foram concluídas nos últimos meses. Também vamos anunciar novos investimentos e assinar ordens de serviços já liberadas”, disse o diretor-presidente da Sanesul, Walter Carneiro Jr. “Vamos juntos percorrer uma rota de entregas de saneamento, ficar de frente com a população e os prefeitos. São investimentos viabilizados pela Sanesul e o Governo do Estado”, acrescentou.

As ETEs serão operadas pela Ambiental MS Pantanal (AMSP). A empresa foi criada a partir da Parceria Público-Privada (PPP) entre a Sanesul e o Grupo Aegea – a maior companhia privada de saneamento do país -, com o objetivo de impulsionar investimentos e dar acesso aos serviços de saneamento a mais 1,7 milhão de sul-mato-grossenses até o final de 2031. Com isso, 98% da população será contemplada.

As equipes e veículos da PPP já podem ser vistas em todas as 68 cidades em que a Sanesul já atua desde maio, quando a AMSP deu início à chamada operação plena.

Coxim foi um dos municípios que já receberam, por exemplo, um dos caminhões customizados da empresa que, por reunir vários equipamentos em um só veículo, é visto como uma solução para diminuir transtornos em obras do setor. Isso é possível, uma vez que o caminhão dispensa uso de vários veículos para a execução de um só serviço, resultando na diminuição da emissão de poluentes oriundos da queima de combustíveis fósseis.

Referência nacional, a PPP se antecipou ao marco do saneamento, sancionado em 2020. Caso a meta seja atingida até o final de 2031, o MS será o primeiro estado brasileiro a universalizar o saneamento básico, num marco histórico para o país.

“Nós, da MS Pantanal, estamos bem animados com a universalização, dada a importância do acesso ao saneamento básico à população”, disse José Octávio de Oliveira, supervisor da regional de Coxim da AMSP. “Isso vai beneficiar a todos: é mais gente tendo esgoto tratado, o que representa uma melhoria da qualidade de vida da população de Coxim, bem como da questão ambiental”, acrescentou.

Sanesul entrega obras de esgoto em Rio Verde e Camapuã

Postado por administrador em 16/jul/2021 - Sem Comentários

Dando continuidade em seu cronograma de entrega de obras e anúncio de novos investimentos, a Empresa de Saneamento do Mato Grosso do Sul (Sanesul), entregou, nesta sexta-feira (16), melhorias nas redes de esgoto nos municípios de Rio Verde do MT e Camapuã.

Em um ato público em Rio Verde, ao lado do prefeito José de Oliveira (DEM), o diretor-presidente da Sanesul, Walter Carneiro Jr., entregou 2,7 quilômetros de rede coletora de esgoto, 93 ligações domiciliares, uma estação elevatória e 86 metros de linha de recalque – um conjunto de tubulações, conexões, peças e dispositivos para garantir o perfeito bombeamento do esgoto.

Já em Camapuã, foi autorizada a construção de uma nova estação de tratamento de esgoto (ETE) com capacidade de 30 litros por segundo, um laboratório e duas estações elevatórias, bem como obras complementares, em mais uma etapa do programa Avançar Cidades.

As estruturas serão operadas pela Ambiental MS Pantanal (AMSP). A empresa foi criada a partir da Parceria Público-Privada (PPP) entre a Sanesul e o Grupo Aegea – a maior companhia privada de saneamento do país -, com o objetivo de impulsionar investimentos e dar acesso aos serviços de saneamento a mais 1,7 milhão de sul-mato-grossenses até o final de 2031. Com isso, 98% da população será contemplada.

Equipes e veículos da PPP já podem ser vistas em todas as cidades do estado desde maio, quando a AMSP deu início à chamada operação plena.

Referência nacional, a PPP se antecipou ao marco do saneamento, que completou um ano, nessa quinta-feira (15). Caso a meta seja atingida até o final de 2031, o MS será o primeiro estado brasileiro a universalizar o saneamento básico, num marco histórico para o país.